5 ensaios polêmicos de famosas brasileiras na Playboy

A polêmica sempre andou de mãos dadas com a revista Playboy, seja em sua edição nacional ou nas versões de outros países. Por vezes, a publicação conta com ensaios nus de celebridades controversas ou em situações curiosas, o que é suficiente para “causar”.

A lista a seguir conta com cinco ensaios nus de famosas que geraram polêmica na Playboy Brasil.

1) Xuxa

01-xuxa

A primeira edição da Playboy a causar uma real controvérsia no país foi a de Xuxa Meneghel. Todavia, a polêmica com a publicação não foi imediata, mas, sim, um pouco tardia.

 Xuxa foi capa da Playboy Brasil em dezembro de 1982, quando ainda tentava se lançar como modelo. Sua carreira não tinha ligação com o mundo infantil.

Anos depois, quando Xuxa já havia se consagrado como apresentadora de programas infantis, a revista veio à tona, bem como a sua atuação no filme “Amor, estranho amor”, também de 1982, quando ela fez cenas de sexo com uma criança de 12 anos.

 

2) Cláudia Ohana

02-claudia-ohana

Outra edição da Playboy a gerar polêmica no Brasil foi a de Cláudia Ohana, lançada em janeiro de 1985. E por um motivo bobo: a atriz posou com as partes íntimas sem depilação

Parece mentira, mas esse foi o motivo de tanta polêmica. Em 2008, a atriz foi convidada a posar novamente para a revista – e 166 mil exemplares foram vendidos.

 

 

3) Carla Perez

03-carla-perez-playboy-1

A Playboy Brasil bateu seus recordes de vendas na década de 1990. E uma das edições mais vendidas é a de Carla Perez, de outubro de 1996.

A controvérsia girou em torno da temática do ensaio. Na capa, Carla Perez posou com um homem vestido de Papai Noel – notavelmente, uma figura infantil.

A revista foi duramente criticada, mas não voltou atrás: todas as tiragens previstas foram para as bancas e mais de 770 mil exemplares foram vendidos na época. E, é claro, Carla fez outros dois ensaios, em abril de 1998 e dezembro de 2000.

 

4) Kelly Key

04-kelly-key-playboy-1

O ensaio de Kelly Key gerou polêmica no Brasil. Publicada em dezembro de 2002, a publicação “causou” por contar com uma artista ligada ao público infantil, visto que Kelly tinha, em sua maioria, fãs mirins.

A controvérsia, aliada à fama que Kelly Key tinha na época, fez com que a revista fosse uma das mais vendidas da história da Playboy: cerca de 700 mil exemplares vendidos.

5) Helô e Ticiane Pinheiro

05-helo-pinheiro-e-ticiane-na-playboy

Em abril de 2003, Menos de um semestre depois da edição de Kelly Key, a Playboy Brasil contou com Helô e Ticiane Pinheiro na capa. Foi um dos ensaios mais criticados, visto que mãe e filha posaram, juntas e nuas, para a publicação.

 A revista teve boas vendas, mas, diferente do que se pensa, não houve nenhum recorde de comercialização: cerca de 300 mil exemplares foram para as casas dos fãs.

Falando sobre isso

Leave a Reply