6 MENTIRAS que sempre te disseram e que você continua achando que são verdades…

Quando entramos no templo do saber acreditamos de pés juntos em todas as cantigas que nos cantam, sem duvidar de sua veracidade. Isso só nos leva a aprender na escola algumas mentiras e as elevar em nível de fatos comprovados e factíveis. No entanto, hoje vamos ajudá-lo a depurar esses fatos com verdades que são SIM corroborados pela ciência moderna e nos fazem ver a vida de forma diferente.

1. O homem veio do macaco

Não estamos questionando a teoria da evolução de Darwin, apenas vamos aprofundar a questão e resolver uma dúvida. Quando nos referimos a nossas origens, em muitos casos, acreditamos que descendemos dos macacos que hoje vemos em nossas florestas. Isso é culpa nossa, porque nós realmente viemos de um ancestral comum entre esta espécie e a nossa. Por isso, não devemos pensar que ao longo dos anos eles deram origem a um novo ser humano, como pode ser visto em alguns filmes de ficção.

2. Cristóvão Colombo descobriu a América

Se fossemos cientistas, saberíamos que os primeiros humanos que descobriram a América foram os que a habitavam quando Colombo chegou à sua costa. Possivelmente, eles chegaram aqui através do Estreito de Bering, ao noroeste do continente, passando pela Ásia, para em seguida colonizar toda a extensão que eles encontraram. E se o consideramos como o primeiro descobridor europeu, tampouco estaríamos certos.

Há muitas evidências que revelam que o povo Viking conseguiu chegar à costa do Canadá ainda durante a Idade Média. Estes bravos guerreiros e marinheiros poderosos já contavam com ferramentas para realizar grandes incursões marítimas que lhe permitiram chegar a distâncias cada vez maiores. Há vestígios arqueológicos desses verdadeiros descobridores por toda a zona ártica, portanto, Colombo seria apenas um dos muitos “descobridores”.

3. O mito da maçã de Newton

Que Newton desenvolveu a teoria da gravidade é algo que não se pode questionar. Sua mente maravilhosa foi a que impulsionou a ideia de que havia uma força que atraía todos os objetos para o centro da Terra, devido à grande massa que ela continha. Até aí, tudo bem. Mas é que desde que começamos a estudar física, nos dizem que foi graças ao impacto de uma maçã em sua cabeça, lhe veio uma inspiração para o desenvolvimento desta teoria.

A verdade é que ele não chegou a ser golpeado pela maçã. Ele simplesmente observava o fato de que os objetos não se moviam simplesmente, mas pareciam sujeitos à impressão de algum tipo de força que os despertava de seu estado de repouso. Assim, ele pensou que, para que uma maçã caísse, algo deveria aplicar essa força para que ela iniciasse o movimento. O imaginário popular foi quem criou esse golpe de maçã no pobre físico. Certamente, isso o fez ainda mais famoso e fácil de ser lembrado, mesmo sendo mentira.

4. A terra é redonda

Embora sua forma, a partir do espaço, possa parecer relativamente arredondada, a verdade é que ela realmente tem uma forma bastante distorcida. Devido à diferença nas densidades das superfícies em todo o planeta, a pressão exercida pelos diferentes oceanos, a força da gravidade exercida pela Lua e a própria orografia poderia determinar que sua forma é completamente diferente da que estamos normalmente acostumados. Mas as descobertas não param aí.

Quando os mapas que descrevem a superfície da terra foram concebidos, foi necessário se pensar no quão complexo era traduzir um círculo, em um plano quadrado. Optou-se por “deformar” os países de modo que fossem facilmente representados. Graças a isto, pode-se realizar uma ideia aproximada dos tamanhos das diferentes nações, embora fosse realmente bastante imprecisa. Assim, nem os globos ou esferas simbolizam a realidade da Terra; eles são simplesmente representações simbólicas de algo que é concretamente mais parecido com uma batata.

5. Nós temos 5 sentidos

A nossa capacidade de interagir com o exterior é baseada em nossos órgãos sensoriais. Por padrão, costumamos aprender que uma pessoa possui visão, audição, paladar, tato e olfato. Nosso corpo utiliza os canais de informação dos olhos, ouvidos, língua, pele e nariz. Mas são realmente apenas esses os nossos sentidos ou há mais algum? A verdade é que temos muitos mais sentidos que não estão incluídos nesta lista, como o senso de equilíbrio que nos permite saber se estamos em movimento.

Temos também algumas outros sentidos que, embora possamos acreditar que estejam associados aos primeiros, são totalmente independentes. Entre eles estão a termocepção, que é a capacidade que temos para detectar o calor que nos rodeia, usando para isso o próprio tato. Também temos a capacidade de localizar a fonte de uma determinada dor. Ao fazer isso, conseguimos encontrar os motivos de nossos desconfortos e podemos saber suas origens. Este sentido não está presente nos bebês, que simplesmente choram quando algo os incomoda.

6. Sangue azul

Quando ouvimos falar sobre a nobreza europeia, sempre nos vem à mente a expressão “sangue azul”. Isto surgiu porque, na idade média, muitos dos cortesãos evitavam a exposição ao sol e, assim, tinham a pele muito pálida, através da qual era possível enxergar-se as veias, com sua cor azulada. Como a plebe passava muito tempo no sol, no trabalho agrícola, acabavam tendo um tom de pele mais escuro e ocultavam esse efeito. Então, sempre houve a crença de que havia um tipo de sangue azul e outro vermelho.

A realidade é bem distinta. O que é verdade é que existem dois tons de vermelho: um mais brilhante, e outro mais escuro, dependendo da quantidade de oxigênio que há nele. O efeito que faz parecer que tenha uma tonalidade azulada vem a partir de uma mistura da luz com a própria pele, pigmentado-a nessa coloração. Mas se você olhasse dentro das veias, o que não recomendamos, veria que o sangue é completamente vermelho. Em suma, os reis eram de sangue igualmente carmesim.

Este é um site de noticias,curiosidades e tratamentos,ele não substitui um especialista.Consulte sempre seu médico.

 

Falando sobre isso

Leave a Reply