A Verdade Chocante Sobre a Panela de Alumínio: Será Que Ela Faz Mal Mesmo?

Hoje em dia muito se fala sobre malefícios que certas panelas podem causar. E a panela de alumínio é a mais falada nesse meio.

Será que ela realmente faz mal ou será o mal uso da mesma? Continue lendo o artigo para descobrir.

Introdução

Atualmente existe uma divulgação por diversos meios que a panela de alumínio causa malefícios à saúde por liberar o metal nos alimentos.

Acontece que essa informação foi divulgada de forma parcial porque o uso errado da panela é o motivo dela causar os malefícios à saúde. Se você souber usá-la de forma correta, ela é uma panela segura para sua saúde.

Então, se você não tem dinheiro para investir em outros tipos de panela no momento, e quer continuar usando sua panelas de alumínio, esse artigo é para você.

Tipos de Panela

panelas de alumínio

Existem diversos tipos de panelas, cada uma com suas características, indicações e contraindicações:

  • alumínio: barata, leve, prática, fácil acesso, distribui bem o calor e ótima para frituras por imersão, porém tem restrições na limpeza e não pode cozinhar alguns alimentos, pois ela pode liberar alumínio no alimento.
  • aço inoxidável: não oxida, resistente, distribui o calor de forma igual e esquenta rápido, porém tem restrições na limpeza, pois a ela pode liberar níquel no alimento e não serve para fritura, pois queima o alimento.
  • ferro: atua com um suplemento de ferro, porém exige cuidados na conservação, pois pode enferrujar facilmente, e na limpeza, pois a ferrugem pode se soltar.
  • antiaderente (tefal/teflon): não grudam o alimento e são fáceis de limpar, porém usam componentes tóxicos que estão sob estudos e podem ser liberados se a panela for riscada, além de não servir oara o preparo de docesm como brigadeiro e caldas, ou cozimentos longos.
  • alumínio revestido com cerâmica: tem custo acessível, leve, resistente, antiaderente e não passa substâncias para os alimentos, porém deve-se ter cuidado na limpeza para não danificar o revestimento de cerâmica.
  • cerâmica: fácil de limpar, antiaderente, conservadora de calor e não passa substâncias para os alimentos, porém tem alto custo e demanda mais tempo que o normal para esquentar.
  • vidro: o mais seguro sem contraindicação, fácil de limpar, não pegam gosto nem cheiro, não passa substâncias para os alimentos e permite guardar os alimentos, inclusive na geladeira, porém tem alto custo, é pesada e frágil.
  • titânio: resistente, durabilidade quase eterna, não passa substâncias para os alimentos e podem ser usadas para guardar comida depois de pronto, porém são muito caras.
  • cobre: inoxidável, boa condutora de calor, esquenta por igual e esfria rápido, porém tem restrições sal e alimentos ácidos como tomate, limão e vinagre, pois ela pode liberar cobre no alimento, além disso, o óxido de cobre formado é tóxico (zinabre) e deve ser limpo.
  • alumínio esmaltado com ágata: aquece rápido, retém calor, porém o esmalte lascam com facilidade e e pode conter elementos tóxicos como o chumbo e cádmio.
  • ferro esmaltado com ágata: não enferruja, aquece rápido, retém calor, porém o esmalte lascam com facilidade e e pode conter elementos tóxicos como o chumbo e cádmio.
  • pedra-sabão: durável, mantém o calor por mais tempo e não passa substâncias para os alimentos, porém é difícil de encontrar, demanda mais tempo que o normal para esquentar, deve ser aquecida em fogo baixo, para evitar rachadura pelo choque térmico, resseca alimentos com baixo teor de água e por ser porosa, exige cuidados na lavagem para evitar a retenção de resíduos que estimulam a cultura de bactérias.
  • barro: mantém o calor por mais tempo e não passa substâncias para os alimentos, porém é difícil de encontrar, pesada, frágil, demanda mais tempo que o normal para esquentar, resseca alimentos com baixo teor de água e por ser porosa, exige cuidados na lavagem para evitar a retenção de resíduos que estimulam a cultura de bactérias.

Para escolher sua panela, você deve levar em conta 3 coisas:

  • O consumidor: quem vai comer o alimento, qual a idade, condição fisiológica (adultos, crianças, etc.), hábitos alimentares (vegetarianos..) e necessidades.
  • O alimento: qual o teor de água, acidez, tempo de preparo, etc.
  • Modo de preparo

Para cada condição, haverá materiais de panela mais recomendados e outros a se evitar sendo que cada material terá uma peculiaridade na limpeza, forma de guardar, tipos de alimentos e forma de preparo.

Os Malefícios do Alumínio

Créditos: Llyfrgell Genedlaethol Cymru / The National Library of Wales (https://www.flickr.com/people/llgc/)
Créditos: Llyfrgell Genedlaethol Cymru / The National Library of Wales (https://www.flickr.com/people/llgc/)

O alumínio não é considerado um elemento tóxico pela Organização Mundial de Saúde (OMS), porém não podemos confiar apenas nessa informação.

É comprovado que o alumínio está associado à incidência dos males de Alzheimer e de Parkinson, às doenças do sistema esquelético, como alterações do metabolismo do cálcio (raquitismo), hematológico (do sangue), à constipação intestinal, cólicas abdominais, anorexia, náuseas, fadiga, alterações neurológicas com graves danos ao tecido cerebral.

Esse metal, quando está excessivo no organismo, também provoca problemas como oleosidade no couro cabeludo, que vai sufocar a raiz dos cabelos, podendo causar queda de cabelo.

Para o Dr. Mauro Tarandach, da Sociedade Brasileira de Pediatria, está bem claro o papel do alumínio nas doenças da infância, graças ao avanço da biologia molecular no que tange ao papel dos oligoelementos na fisiologia e na patologia.

“Os sintomas clínicos da intoxicação por alumínio nas crianças, além da hiperatividade e da indisciplina, são muitos: anemia microcítica hipocrômica refratária ao tratamento com ferro, alterações ósseas e renais, anorexia e até psicoses, o que se agrava com a continuidade da intoxicação.”

O Mito da Panela de Alumínio

casal cozinhando com panelas de alumínio

Um estudo de 2007 concluiu que contribuição dada pelo cozimento nas panelas de alumínio é desprezível, sendo que a maior transferência ocorreu no preparo de molho de tomate (baixo valor de pH), na panela sem revestimento [1].

Segundo outro estudo feito pelo Instituto de Tecnologia de Alimentos, em Campinas, alimentos preparados em panelas de alumínio contribuem com apenas 2% do limite máximo de ingestão diária do metal (1 miligrama por quilo de massa corporal), dose mais do que segura, na avaliação da Organização Mundial da Saúde (OMS).

A nutricionista Késia Quintaes é especialista em engenharia química dos alimentos, professora da Universidade federal de Ouro Preto e defendeu em seu doutorado as implicações nutricionais decorrentes do uso de determinadas panelas.

Ela é autora de vários livros sobre o efeito das panelas para a saúde e a nutrição. Entre eles está o “Por Dentro das Panelas”, publicado em 2005, e o “Tudo sobre panelas”, publicado em 2010.

Késia sugere que haja diversidade de materiais a disposição na cozinha e que o uso deles seja feito de forma que a exposição a determinado nutriente ou não nutriente não tenha efeitos nocivos à saúde.

“A panela de alumínio pode ser interessante no caso das frituras por imersão e contraindicada para o preparo de molho de tomate. Já uma panela de ferro poderia ser boa para o preparo de molho de tomate e contraindicada para a fritura de batatas”, exemplifica.

Visto que o material da panela influencia nas características sensoriais dos alimentos preparados e no valor nutricional, as panelas devem ser escolhidas de acordo com as necessidades do momento: ‘Por exemplo, pessoas com dislipidemias devem evitar panelas de ferro enquanto aquelas com anemia ferropriva devem fazer uso destas’, conclui.”

SÍlvia Tondella dantas, doutora em tecnologia de alimentos que atua na área de contaminação metálica de alimentos, aponta que pessoas com doenças renais são suscetíveis a problemas relacionados à ingestão de alta concentração de alumínio.

Isso talvez se dê pela dificuldade que esses pacientes têm de eliminar pela urina as impurezas que o corpo ingere.

“Em pessoas com saúde normal não existe nenhuma evidência de que haja consequências pelo contato com alumínio. muitos alimentos, de uma forma geral, tem uma certa concentração natural dessa substância”, revela.

Ela realizou um estudo para avaliar a dissolução do alumínio nos alimentos durante o cozimento.

Sua análise priorizou receitas que utilizam condições agressivas e calculou o quanto isso significaria em aumento da ingestão de alumínio pelo indivíduo (com base em uma pessoa que pese 60 kg) se todos os alimentos forem preparados apenas em panelas de alumínio.

A doutora chegou à conclusão que o alumínio da panela dissolvido nos alimentos durante o preparo representaria 12% do limite seguro de ingestão semanal de alumínio implantado pela Organização Mundial de Saúde, que é de 1mg por quilo de peso corporal.

“Essa quantidade é muito pouco relevante. O maior valor de concentração foi encontrado no molho de tomate, à medida que no bife preparado em frigideira de alumínio se constatou menor concentração dessa substância após o cozimento, provavelmente porque algum alumínio natural do bife deve ter ficado aderido à frigideira,” conclui.

Quando a Panela de Alumínio é Perigosa?

panela metal

O verdadeiro problema da panela de alumínio está no mau uso.

Se você souber usá-la de forma correta ela será uma panela segura para se cozinhar, pois a quantidade de alumínio liberada no alimento será ínfima e seu corpo vai eliminar.

Veja abaixo 6 erros no uso dela que causam liberação de alumínio nos alimentos.

Erro #1 – Arear a panela

ariando frigideira de alumínio

O principal erro das pessoas ao utilizarem panela de alumínio para cozinhar está na lavagem.

Você não pode de MANEIRA ALGUMA arear o interior de uma panela de alumínio, pois isso aumenta o desprendimento de alumínio.

Faça o teste você mesmo. Passe um papel toalha depois de arear a panela e verá que ele fica suja. Aquela sujeira é alumínio.

Se você quiser um brilho na sua panela, você pode arear apenas NA PARTE EXTERNA. Para limpar a parte interna você pode usar sabão neutro ou detergente.

Caso seja extremamente necessário arear a panela, ou se você já areou, ferva água nela vários vezes até o interior dela escurecer.

Esse escurecimento é a formação de uma camada de óxido de alumínio que reduz 6 vezes a transferência de alumínio da panela para o alimento.

Evite ferver água com vinagre, limão ou bicarbonato de sódio na panela porque eles removem a cama de óxido de alumínio.

Erro #2 – Usar produtos de limpeza abrasivos

lavando tampa de panela de alumínio

O segundo erro é o uso de produtos abrasivos voltados à limpeza de alumínio como saponáceo (“sapólio”), brilha alumínio, limpa alumínio, etc.

Esses tipos de produtos danificam a parte interna da panela o que causará desprendimento na comida.

Erro #3 – Usar colher de metal, plástico ou silicone

Homem cozinhando panela de alumínio com colher

Mais um erro comum das pessoas é no utensílio usado. Ao usar colheres de metal, plástico ou silicone para preparar a comida, o atrito delas com a panela vai desprender alumínio.

Opte sempre por colheres de pau ou de bambu.

Elas são baratas, leves, resistentes, não esquentam o cabo e são uma peça inteiriça, sem parafusos e saliências, o que facilita a limpeza. A colher de bambu tem ação antibacteriana e não fica escura tom tanta facilidade se bem conservada.

Colher de bambu

Erro #4 – Cozinhar de alimentos ácidos

panela com molho
Créditos: Laura Blankenship (https://www.flickr.com/people/lorda/)

A preparação de alimentos ácidos na panela, como molho à vinagrete, massa de tomate, iogurte e doce em cauda, degrada a parte interna da panela absorvendo o alumínio liberado.

Quando for preparar esses alimentos, utilize outro tipo de panela.

Erro #5 – Servindo e guardando na geladeira

mulher olhando geladeira

Você precisa entender que toda panela, independente do material que é feita, pode contaminar os alimentos expostos a ela por muito tempo depois de prontos.

Então nada de usar a panela de alumínio para servir a mesa ou guardar na geladeira.

Erro #6 – Preparar brócolis, couve e cebola

Refogando cebola na panela de alumínio

Existem 3 alimentos que são grandes inimigos das panelas de alumínio: o brócolis, a couve e a cebola.

Esses alimentos são risco em enxofre que em contato com o interior da panela, favorecem a liberação do alumínio.

Dicas para panelas novas

derramando água na panela de alumínio

Ao comprar uma panela de alumínio (se você não tem dinheiro para investir em outro tipo), observe se a junção entre o fundo e a parede da panela são bem arredondos, pois vai facilitar a limpeza dispensando objetos para raspar.

Antes de utilizar a panela que você acabou de comprar, encha ela de água e ferva, e repita 3 vezes.

Esse procedimento vai ajudar a remover o excesso de alumínio e criará uma camada de óxido de alumínio que praticamente impede liberação de alumínio para o alimentos.

Uma Verdade Inconveniente

atriz americana cozinhando na panela de alumínio

A nutricionista Késia Quintaes ressalta que as pessoas estão expostas ao alumínio através de várias maneiras.

Como exemplo ela cita desodorantes que têm hidróxido do alumínio na formulação, água potável, chás, medicamentos (antiácidos) e aditivos alimentares, além de alimentos que entram em contato com o material, como em latas de refrigerantes e mesmo em panelas.

Ela explica que o alumínio, que por ventura adentre o organismo humano é absorvido e posteriormente eliminado preferencialmente através da urina.

“No processo de absorção, no entanto, ele pode competir com a absorção de elementos minerais de mesma valência química, como o ferro, favorecendo a longo prazo a instalação de anemia ferropriva”, complementa.

Assim, a sua preocupação não deveria estar apenas na sua panela. Vale ressaltar que o coentro ajuda eliminar metais pesados do corpo e pode ser um bom aliado.

Conclusão

casal cozinhando na panela de alumínio

Se você usar corretamente as panelas de alumínio, elas não trazem perigo para a sua saúde contrariando o que está sendo propagado.

Porém, ela não é a melhor opção de panela para cozinhar, principalmente devida a várias restrições de limpeza e alimentos que não podem ser preparados.

As panelas de vidro e cerâmica são as melhores porque evitam a proliferação de bactérias e não transferem resíduos para os alimentos.

Se você não tiver dinheiro para investir em panelas de qualidade, simplesmente siga as orientações do artigo.

Aliás, qual a panela que você usa para cozinhar? Deixe um comentário abaixo.

Vimos em http://www.musculacaoectomorfo.com

Falando sobre isso

Leave a Reply