Abóbora: confira curiosidades e aprenda receitas

Poucos alimentos permitem tantas variações de preparo como a abóbora
Foto: Sheila Oliveira

Que ela é protagonista das noites de Halloween você sabe. Mas já ouviu falar sobre as lendas americanas segundo as quais os povos nativos tinham o hábito de enterrar uma abóbora junto com seu corpo para garantir que ele tivesse bastante energia na vida após a morte? Não dá para condená-los. O nosso jerimum, tanto apreciado nas regiões Norte e Nordeste do Brasil, como acompanhamento da carne-seca e do jabá, é um alimento nutritivo e muito bom para a saúde do corpo. Não perca tempo, ou, melhor dizendo, não espere virar abóbora. Conheça mais esse importante alimento, consumido em fruto imaturo (abobrinha – sim, ela é da família) e maduro (abóbora seca), e veja maneiras fáceis e práticas para adicioná-lo às suas dietas cotidianas, com ou sem casca.

Rica em minerais

A abóbora é valiosa fonte de ferro, ótima para os adeptos de uma dieta vegetariana, que normalmente têm carência do mineral (anemia). Sendo um componente da hemoglobina, que transporta oxigênio para as células e retira dióxido de carbono, ele participa da produção e liberação de energia do corpo e é vital para o bom funcionamento do organismo, por atuar na síntese de importantes moléculas. Outra característica é a presença de muito potássio. “O potássio representa cerca de 5% do conteúdo em minerais do nosso corpo. Atua em parceria com o sódio na manutenção do equilíbrio de líquidos do corpo, assim como ajuda o cálcio no controle das atividades dos nervos e músculos”, diz a nutricionista e consultora em personal diet Anna Christina Castilho, de São Paulo.

Você sempre jovem

A abóbora também conta com os antioxidantes das vitaminas A, C e E. “O alto teor do antioxidante betacaroteno (que depois é convertido em vitamina A) pode ser visto a olho nu, pela cor laranja-vivo da polpa. O efeito benéfico que a vitamina A tem na pele é a sua manutenção, por atuar na reparação do tecido e, com isso, agir contra o envelhecimento. Outro benefício conhecido popularmente e comprovado cientificamente da vitamina A é na vista: por participar de importantes reações químicas que propiciam a visão em ambientes de baixa luminosidade, previne a cegueira noturna, que é a dificuldade para enxergar direito à noite. A vitamina E presente nas sementes ajuda a baixar a pressão sanguínea, e a vitamina C reforça a parede das artérias, sendo um antioxidante amigo do coração.

Use e abuse

Não há desculpas para não encontrar abóboras. Como é uma planta tropical, suas espécies são cultiváveis durante todo o ano no Brasil. Para ter uma ideia, só na Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo), o volume anual dessa hortaliça é de 2,5 milhões de kg. Além disso, é um alimento superversátil: você pode prepará-la em sopas, purês, suflês, servir cozida como acompanhamento, fria na salada e até criar diversas sobremesas, como doces e compotas. A carne da abóbora tem um sabor gostoso e adocicado, e dela também é possível aproveitar a flor (para empanados), a casca (para tortas), o broto (para sopas) e as sementes (para aperitivos). A única desvantagem: o formato esquisito. Muitas pessoas ignoram a abóbora no mercado e nas feiras por não saberem como escolher aquela que está madura nem como tirar todo proveito de seu conteúdo por completo.

Como escolher

Elas podem ser encontradas em formatos alongados, cilíndricos e achatados, gomadas ou sem gomos, com diferentes texturas, desenhos e colorações de casca. “Não importa a espécie: japonesa, moranga, paulistinha, menina… Você tem de pegar aquela que estiver mais pesada para o seu tamanho. Segure duas do mesmo tamanho e compare. Ela também deve ter a casca intacta, sem lascas, amassados e brilho”, orienta a agrônoma da Ceagesp Anita Gutierrez.

Como armazenar

A abóbora preservada com a casca e o cabinho pode ser conservada em local fresco, seco e bem ventilado por várias semanas. “Se, para facilitar, você comprar a abóbora seca já fatiada, embrulhe-a em papel-filme, bem fechada, e guarde na geladeira por uma semana”, diz Anita. Você ainda pode congelar os pedaços para usar em sopas. “Corte a abóbora em cubos ou fatias e faça um branqueamento mergulhando-a na água fervente por 3 minutos. Depois, acondicione-a num saco plástico e coloque-a no congelador”, explica a nutricionista Anna Castilho.

Como cortar

No Brasil, é possível encontrar abóboras de 300 g a mais de 100 kg, conforme a espécie. “Escolha as de tamanho pequeno e médio para tornar mais fácil o manuseio. As maiores também são mais ocas”, diz Anna Castilho. Comece com uma faca gourmet comprida e bem afiada, e prepare o braço. Nas abóboras redondas, finque a faca bem no meio e entre com toda a lâmina até a base. Pressione para baixo para dividi-la. “Se estiver muito dura de cortar, esquente a abóbora antes no micro-ondas, em alta potência, por 2 minutos.” Remova as sementes com uma colher de sopa ou concha de sorvete.

Como tirar a casca

Antes de tudo, lave muito bem a casca, com esponja, água e sabão. Corte uma lasca do topo e da base da abóbora para evitar que ela deslize. Coloque-a em pé e, com uma faca afiada, siga o formato da hortaliça para descascar. Em algumas receitas, você pode cozinhar tudo dentro da abóbora e depois só tirar o conteúdo.

Como preparar

Irrigue a carne da abóbora com óleo vegetal. Acomode em uma travessa e leve ao forno a 180 ºC por 40 minutos ou até a carne ficar macia. Para reduzir esse tempo pela metade, corte a hortaliça em cubinhos.

Micro-ondas

Quer mais facilidade? Você também pode cozinhar a carne no micro-ondas. “O gosto permanecerá o mesmo”, diz Anna Castilho. Só a casca não ficará tão macia, nem você vai obter a cor dourada, conquistada quando assamos a carne no forno. Corte a abóbora em cubos, coloque-os em um refratário com tampa próprio para micro-ondas. Cozinhe em alta potência por 6 a 8 minutos. Espere esfriar um pouco antes de servir.

Guarde as sementes 

Proteína, zinco, magnésio, ferro e fósforo são alguns dos nutrientes presentes nas sementes de abóbora. Para aproveitá-las em saladas ou como aperitivo, lave, seque bem com papel-toalha e leve para tostar ao forno, temperadas com azeite de oliva e sal. Também pode incrementar o sabor com pimenta, canela, tempero de alho e tudo o mais que a deixe feliz. Em uma fôrma, espalhe as sementes em papel- alumínio e asse, em temperatura de 180 °C, por 15 a 20 minutos ou até dourar.

vimos em:mdemulher

Falando sobre isso

Leave a Reply