Acidente de avião na Cordilheira dos Andes completa 40 anos

Uma história inesquecível que se passou no dia 13 de outubro de 1972, quando um time de rúgbi uruguaio voava de Montevidéu para uma partida em Santiago no Chile, eram 45 passageiros, o avião voava pela inóspita fronteira entre Argentina e Chile, na Cordilheira dos Andes.

Devido ao mau tempo o avião se chocou contra uma montanha na cordilheira, morreram 18 passageiros na hora e os demais sofreriam e alguns até morreriam nos dias e meses seguintes.

De todas as pessoas a bordo nenhuma estava preparada para o que acontecera, estavam vestidas com roupas normais e não havia nenhum mantimento para o acontecido, assim sabia-se que os dias que estavam por vir seriam de extrema dificuldade considerando que as temperatura também variavam no local e chegavam até -30º C .

OS PIORES MOMENTOS

Um dos momentos mais terríveis foram quando ouviram 10 dias depois da queda do avião em um rádio que possuíam que, as buscas cessariam em virtude de as autoridades não acreditarem haver sobreviventes.

Outra barreira foi o fato que eles não teriam alimento para suprir a necessidades de todos sobreviventes, eram 27 sobreviventes que no início tentaram de todas as formas se alimentar sem recorrer ao canibalismo, porém depois estarem em plena fadiga e desnutrição os Sobreviventes se obrigaram a comer os corpos dos mortos para sobreviver, inclusive foi um dos fatos mais comentados do acidente, porém sabe-se que se não fosse a carne humana não teriam sobrevivido.

A ESPERA

Passaram mais de 2 meses presos entre as montanhas da Cordilheira dos Andes planejando como poderiam sair dali, com nenhuma ferramenta para ajudar na orientação e enquanto muitos dos que haviam sobrevivido morriam de frio ou fome, alguns poucos reuniam suas forças e planejavam uma expedição, pois se ficassem morreriam e tentar escapar poderia ser a única saída.

A SAÍDA

Assim, três sobreviventes juntaram suprimentos para uma pequena expedição, saíram e seguiram para um lado em linha reta, depois de 3 dias de caminhada, um deles voltou para avisar que os outros dois iriam continuar até onde conseguissem, Eles caminharam por mais de 60 km e 10 dias de viagem, então chegaram ao leito de um pequeno rio onde avistaram um camponês que os resgatou e chamou as autoridades do governo local. Assim depois de 72 dias foram resgatados restando apenas 16 sobreviventes extremamente desabilitados.

Vimos em zipbrnoticias.com

Falando sobre isso

Leave a Reply