Algumas pessoas chamam esta mulher de 23 kg de “esqueleto andante”. A maioria das pessoas fica chocada quando a vê pela primeira vez.

A história de Valeria Levitina, de 39 anos, é tão chocante quanto triste. Ela nasceu na Rússia, mas atualmente vive em Mônaco, e por causa de sua anorexia, não há nada de normal em sua vida. Com 1,70m de altura, Valeria pesa apenas 23 kg (o peso normal para alguém da sua altura seria entre 57 e 75 kg).

O transtorno alimentar de Valeria começou quando ela era muito nova. Quando ela era apenas uma criança, sua mãe controlava sua alimentação estritamente para evitar que ela ficasse obesa como seus parentes. Aos tenros 16 anos, Valeria começou a fazer dietas.

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé, oceano, céu, atividades ao ar livre, natureza e água

Sua família tinha acabado de se mudar para Chicago (EUA) e a menina estava preocupada em fazer novos amigos na escola. Ela queria perder peso, achando que as pessoas fossem gostar mais dela se ela fosse magra.

A primeira coisa que Valeria fez foi parar de comer carboidratos e açúcar, mas aparentemente isso não era suficiente. Então um dia, enquanto Valeria estava assistindo a um jogo de futebol com os amigos, alguém disse algo que a magoou profundamente e teve repercussões a longo prazo. “Eu sei como podemos vencer. Nós precisamos colocar o bundão da Valeria no gol”. Foi uma piada cruel e que terminaria estraçalhando o mundo de Valeria. Ela nunca mais conseguiria se ver da mesma maneira.

A ironia é que Valeria tinha um corpo perfeitamente normal para alguém de sua idade e altura. Ela vestia calça tamanho 42, e talvez fosse um pouco mais forte do que as outras meninas da escola, mas ela era perfeitamente saudável e nada acima do peso.

Quando chegou aos 23 anos, ela já tinha caído para o tamanho 36 e quis começar uma carreira de modelo. Mas mesmo sendo incrivelmente magra, ainda diziam a ela que ela era “gorda” demais para o mudo da moda.

Mas dessa vez, Valeria sabia que tinha desenvolvido um sério transtorno alimentar, mas não importava o quanto ela tentasse, ela não conseguia parar seu comportamento autodestrutivo. Ela sabia que precisava de ajuda e foi a 30 especialistas em anorexia para superar sua doença, todas as vezes sem sucesso. A anorexia tinha tomado conta da jovem completamente e fazia com que ela não ganhasse mais peso.

O corpo dela ficou tão fragilizado, que logo ela teve que tomar medicamentos para parar os hematomas que o corpo dela ganhava com até mesmo o menor dos impactos. Valeria ficava constantemente com medo de que pudesse entrar em colapso a qualquer momento. Em seu estado, uma simples queda poderia resultar em vários ossos quebrados.

E Valeria não sofria apenas fisicamente: a anorexia nervosa também tornou sua vida extremamente solitária. Ela não conseguia ter relacionamentos normais ou fazer as coisas que as mulheres de sua idade normalmente fazem. A terrível ironia era que ela havia começado a fazer dieta para ter uma aparência mais atraente, e agora se sentia menos atraente do que nunca.

 

Para piorar ainda mais as coisas, Valeria começou a receber e-mails de “fãs” quando a notícia de sua condição severa começou a aparecer nas redes sociais. Ela ficou chocada ao ler as cartas pedindo para ela revelar sua fórmula secreta para se manter tão magra, e se recusou a ajudar essas jovens a se matarem. Foi nesse momento que Valeria soube que tinha que falar sobre o assunto, então ela iniciou uma campanha para levar informação sobre a anorexia e alertar as pessoas sobre o perigo.

E ela também não tinha desistido de si mesma. Ela estava determinada a recuperar o controle sobre a sua vida e tinha seu objetivo especial na vida: ter um filho. Ela acreditava que esse objetivo daria a ela a motivação suficiente para superar sua enfermidade e voltar a ter um estilo de vida saudável.

Mas a verdadeira tragédia é que, durante todos esses anos, o transtorno alimentar severo de Valeria mudou o seu corpo, o que significava que, mesmo se ela quisesse comer normalmente, ela não teria condições físicas para isso. Anos de desnutrição haviam feito o corpo dela desenvolver intolerâncias para uma grande variedade de alimentos, e ela já não podia digeri-los adequadamente.

A história de Valeria é o perfeito exemplo de quão perigosa a busca pelo “corpo perfeito” pode ser. Em um mundo onde nós somos bombardeados com imagens de modelos super magras e celebridades “photoshopadas”, é entendível que alguns jovens impressionáveis percam o contato com sua própria autoimagem, e é importante lembrar o quanto isso é arriscado em alguns casos. Se alimentar bem e manter um peso saudável são bons hábitos a serem adquiridos. Mas se você ou alguém que você conhece se sente compelido a levar isso ao extremo, é sempre melhor consultar um médico e garantir que não saia de controle. No caso de Valeria, nós só podemos esperar que não seja tarde demais.

Este é um site de noticias,curiosidades e tratamentos,ele não substitui um especialista.Consulte sempre seu médico.

Falando sobre isso

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*