Anticoncepcional aumenta a gordura corporal de 2 maneiras: entenda

Quando uma pessoa decide perder peso de forma saudável precisa necessariamente pensar em perder gordura. Mulheres, no entanto, além de já terem o metabolismo mais lento, ainda podem sair prejudicadas se fizerem uso de métodos contraceptivos hormonais. O hormônio sintético, embora traga outros benefícios, prejudica o emagrecimento agindo de duas maneiras.

Anticoncepcional engorda?

Os anticoncepcionais à base de hormônios – pílulas, adesivos, injeções, implantes ou anel vaginal – embora obviamente não tenham calorias, agem no corpo de uma forma que contribui para o acúmulo de gordura e, portanto, para o ganho ou dificuldade para perder peso. “Infelizmente, não existe pílula fraquinha ou forte”, antecipa a nutróloga especialista em fisiologia hormonal Dra. Anna Virgínia Pinto, da Clínica Patrícia Davidson, do Rio de Janeiro.

Como ele age:

Anticoncepcional favorece o acúmulo de gordura

Ao ingerir o hormônio sintético, o corpo é “enganado”. Isso acontece porque, embora os hormônios sejam reconhecidos, eles não podem ser sintetizados. É exatamente na tentativa constante de absorvê-los que o corpo produz mais substâncias que liberam o cortisol.

O cortisol, de acordo com a especialista, é o famoso hormônio do estresse que, entre outras ações, estimula o catabolismo muscular e destrói as fibras musculares. “Onde não há músculo, há acúmulo de gordura”, resume a médica.

Hormônio sintético dificulta a formação de massa magra

O medicamento ainda age inibindo os níveis dos hormônios anabólicos, substâncias essenciais para o crescimento da massa muscular.

A massa muscular é essencial para quem visa perder peso, porque para a sua manutenção natural o organismo solicita mais energia, característica que aumenta o metabolismo e, consequentemente, a quebra de gordura.

Então, além de favorecer o acúmulo de gorduras através da ação do cortisol, o uso do anticoncepcional ainda diminui a possibilidade de o corpo usá-la como fonte de energia para a manutenção da massa magra.

É preciso suspender o uso do anticoncepcional?

Para a médica Anna Virgínia, mulheres que não possuem problemas ginecológicos específicos e que requerem o uso dos hormônios sintéticos devem abandonar o uso. “Todos os hormônios que chegam à corrente sanguínea provocam todas essas alterações. Até por que, se não houvesse um bloqueio hormonal total, eles não serviriam para a prevenção da gravidez. Então, infelizmente, não existe pílula fraquinha ou forte em relação ao bloqueio hormonal, nem método alternativo de absorção. Todos trazem os efeitos adversos que discutimos”, comenta.

No entanto, é importante ponderar que para muitas mulheres os métodos contraceptivos hormonais ainda são a melhor opção. Nestes casos, é essencial que o uso seja avaliado por um médico ginecologista com base no histórico da paciente. “A pílula é uma alternativa boa e segura para muitas mulheres. Mas, é um remédio e como qualquer outro tem benefícios e efeitos colaterais. É por isso que não pode tomar o mesmo da amiga ou o indicado pela mãe. A análise e a prescrição do medicamento precisam ser feitas por um ginecologista de forma individualizada e levando em consideração vários fatores”, complementa o ginecologista Rodrigo da Rosa Filho, da Clínica Mater Prime, de São Paulo.

Vimos em vix

Falando sobre isso

One comment

  1. Pois é, estou tentando emagrecer há tempos! Estou tomando a mesma pílula há 2 anos e meu corpo mudou muito. Tenho ovário policístico e estou pensando em tomar injeção mensal. Mas tenho dúvidas, os efeitos colaterais são muito fortes? Será que posso ficar pior? Procurei saber mais, mas só achei esse site com a bula do medicamento http://cyclofemina.com.br/, que não fala especificamente sobre isso. Obrigada!

Leave a Reply