Anvisa suspende lotes de Rivotril, Lexotan e Alprazolam; psiquiatra explica riscos

Lotes dos calmantes Rivotril, Lexotan e Alprazolam estão suspensos desde segunda-feira (22) pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa, por erro na embalagem e na simulação da absorção dos componentes pelo organismo.

O órgão publicou a proibição da comercialização destes medicamentos, que têm venda controlada, no Diário Oficial da União.

Os três medicamentos são tranquilizantes e usados no controle de ansiedade e insônia. O Rivotril (Clonazepam), 0,5mg, e o Lexotan (Bromazepam), 6 mg, são fabricados pela farmacêutica Roche. Já o Alprazolam é da fabricante EMS.

Veja abaixo quais são os lotes identificados pela Anvisa e o que fazer se você tiver a caixinha de um destes em casa.

Suspensão de tranquilizantes pela Anvisa

De acordo com as resoluções publicadas pela Anvisa, os lotes RJ0792, com validade em fevereiro de 2017, e RJ0899, com validade em janeiro de 2019, de Rivotril e o RJ0613, com vencimento em janeiro de 2018, foram suspensos por “resultado fora de especificação no teste de dissolução”. Isso significa que as amostras não passaram nos testes in vitro da Agência, feitos justamente para simular a absorção da fórmula do remédio pelo organismo.

“”Esse teste mede a capacidade do pó do remédio ser dissolvido no trato gastrointestinal. Se não está dissolvendo, há a sobra de pedaços do comprimido. Por isso, o organismo vai absorver menos medicação”, explica o psiquiatra Mario Louzã, doutor em Medicina pela Universidade de Würzburg, na Alemanha, e membro filiado do Instituto de Psicanálise da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo.

“É uma falha na hora de fabricar e fazer a compactação do medicamento”.

O Alprazolam 1 mg, utilizado para ansiedade, terá as unidades do lote 812594 retiradas das prateleiras. Tudo porque a empresa constatou que o medicamento de 1 mg com 15 comprimidos poderia estar sendo embalado em cartuchos do medicamento de 2 mg. A EMS informou o erro à Anvisa, que publicou a resolução na segunda-feira (22).

“A metade da dose é uma redução significativa. Como o Alprazolam é um ansiolítico e também usado para dormir melhor, o paciente pode ter mais ansiedade”, explica o médico. “Mas não é uma situação calamitosa. Se o paciente identificar que estava ingerindo o comprimido de 1 mg, mas tem prescrição para o de 2 mg, pode tomar dois comprimidos”.

Além da suspensão da distribuição, comercialização e uso dos lotes dos medicamentos, as empresas farmacêuticas devem recolher os que estiverem em estoque para venda ao consumidor.

O que fazer?

Caso você tome um destes medicamentos e ainda tenha dúvidas sobre o lote da caixa que tem em casa, deve buscar mais informações pelo contato gratuito das empresas. O telefone da Roche para pacientes é 0800-7720289.

A EMS tem o Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC), pelo telefone 0800-191914, de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h.

Resposta das empresas

Em nota, a Roche, fabricante do Lexotan e do Rivotril informou que conduz “testes rigorosos para assegurar a eficácia, segurança e qualidade dos seus medicamentos” e que apresentou “proativamente” à Anvisa dados referentes aos lotes citados. Disse ainda que está em contato com a Agência para avaliar os motivos que levaram à suspensão.

A EMS afirmou em nota enviada ao Vix que, em 30 de junho de 2016, iniciou o recolhimento voluntário do Alprazolam. A assessoria da empresa informou que comunicou a ação previamente à Anvisa e segue os mais rigorosos padrões de qualidade.

Vimos em vix

Falando sobre isso

Leave a Reply