Atriz faz texto tocante ao pai de seus filhos 1 ano após separação: todos deveriam ler

Carolinie Figueiredo anunciou sua separação do então marido Guga Coelho em abril do ano passado. Um ano e meio depois, no dia do aniversário do ex-companheiro, a atriz fez uma homenagem sincera e emocionante para o pai de seus dois filhos – Bruna Luz e Theo -, mas ao mesmo tempo dura, pois aponta a realidade dos relacionamentos. Nem sempre relações dão certo. Nem por isso tornam-se fardos. “Que o dia de hoje seja pra celebrar aquilo que nos une, mais do que aquilo que nos afasta”, escreveu.

Não é a primeira vez que um depoimento da atriz comove a web. O relato de violência obstétrica de Carolinie Figueiredo também já ajudou muitas mulheres. Agora, no texto publicado em seu Instagram na última quarta-feira, 12, dia das crianças e aniversário de Guga, Carolinie reconheceu que mesmo quando um casal sabe que o relacionamento chega ao fim e opta pela separação, o processo não deixa de ser doloroso. Uma verdadeira lição para todos os casais.

? SnapChat: CarolCarolinie ?

A photo posted by Carolinie Figueiredo Carolinie (@_carolinie) on

Relato após separação

Para falar sobre isso, lembrou da sua infância, quando seus pais se separaram, e reconheceu que qualquer separação deixa impactos nos filhos.

“A realidade é que mesmo quando o casal romântico não funciona mais, e a separação é da vontade dos dois, ainda assim, é um processo doloroso, cheio de feridas e fragilidades. A real é que a queda do projeto familiar, admitir que os sonhos e os planos ficaram distantes de um cotidiano que não se sustenta é uma queda forte que mexe demais com todos da família e principalmente com as crianças. Sou filha de uma separação turbulenta e sei dos danos que anos de mágoas e afastamentos podem causar na nossa vida emocional, na nossa segurança e nas escolhas.”, escreveu.

A atriz também lembrou – e elogiou o pai dos seus filhos – da necessidade e importância de os pais assumirem, igualmente, as responsabilidades com as crianças para que, além de criar vínculos reais com elas, ainda possam permitir que as mulheres, socialmente obrigadas a assumir a criação dos filhos, possam buscar realizações pessoais. Afinal, uma mulher ao se tornar mãe não deixa de ser mulher e, por isso, deve continuar tendo seus próprios sonhos e alçando voos.

Eles me ensinaram a voltar pra casa com amor. Tava com saudades! #mãededois

A photo posted by Carolinie Figueiredo Carolinie (@_carolinie) on

“Que as mães solos tenham coragem de trazerem seus ex companheiros pros cuidados compartilhados em todos os setores, porque se todas as mães precisam de suporte, apoio, rede, as mães solo mais do que todas precisam desse cuidado pra maternidade não se tornar opressora, exaustiva, angustiante.”, apoiou.

Por fim, a atriz deixou claro que apesar de todos os problemas – naturais de qualquer relação e rompimento – seu sentimento é de gratidão, talvez não pelo companheiro que o ex-marido foi, mas pelo papel de pai que exerce.

Veja texto na íntegra:

“Hoje é dia das crianças e aniversario do pai dos meus filhos, meu ex companheiro. Passei o dia escrevendo e apagando esse post. Uma vontade de desejar publicamente coisas boas X o medo de idealizar / romantizar uma relação que é tão complicada mesmo depois que termina.

A realidade é que mesmo quando o casal romântico não funciona mais, e a separação é da vontade dos dois, ainda assim, é um processo doloroso, cheio de feridas e fragilidades. A real é que a queda do projeto familiar, admitir que os sonhos e os planos ficaram distantes de um cotidiano que não se sustenta é uma queda forte que mexe demais com todos da família e principalmente com as crianças.

Sou filha de uma separação turbulenta e sei dos danos que anos de mágoas e afastamentos podem causar na nossa vida emocional, na nossa segurança e nas escolhas.

Que o dia de hoje seja pra celebrar aquilo que nos une, mais do que aquilo que nos afasta. Que seja possível lembrar os campos daquilo que temos em comum. Que as mães solos tenham coragem de trazerem seus ex companheiros pros cuidados compartilhados em todos os setores, porque se todas as mães precisam de suporte, apoio, rede, as mães solo mais do que todas precisam desse cuidado pra maternidade não se tornar opressora, exaustiva, angustiante.

A gente tava com muita saudade! ??✨

A photo posted by Carolinie Figueiredo Carolinie (@_carolinie) on

Em tempos de mulheres que se empoderam, que se aprofundam, que a gente tenha empatia e sabedoria pra trazer os companheiros ou ex companheiros pra parceria, pro cuidar junto, pra que eles assumam seus lugares pra que a gente também possa viver e alçar outros voos.

Essa semana uma mulher que tanto me inspira postou um texto onde dizia ser possível o diálogo com o pai da filha depois de tanto conflito. Eu li e tomei como exemplo, para além das idealizações e das expectativas, esse post brota do coração com admiração pelo pai que você é @dejavudeumpoeta desde a primeira gravidez, assumindo os cuidados e os papéis.

Porque as coisas mais importantes da minha vida vieram ao mundo através de você, é só por isso, e apesar de tudo, hoje meu peito está repleto de gratidão!”

Hoje é dia das crianças e aniversario do pai dos meus filhos, meu ex companheiro. Passei o dia escrevendo e apagando esse post. Uma vontade de desejar publicamente coisas boas X o medo de idealizar / romantizar uma relação que é tão complicada mesmo depois que termina. A realidade é que mesmo quando o casal romântico não funciona mais, e a separação é da vontade dos dois, ainda assim, é um processo doloroso, cheio de feridas e fragilidades. A real é que a queda do projeto familiar, admitir que os sonhos e os planos ficaram distantes de um cotidiano que não se sustenta é uma queda forte que mexe demais com todos da família e principalmente com as crianças. Sou filha de uma separação turbulenta e sei dos danos que anos de mágoas e afastamentos podem causar na nossa vida emocional, na nossa segurança e nas escolhas. Que o dia de hoje seja pra celebrar aquilo que nos une, mais do que aquilo que nos afasta. Que seja possível lembrar os campos daquilo que temos em comum. Que as mães solos tenham coragem de trazerem seus ex companheiros pros cuidados compartilhados em todos os setores, porque se todas as mães precisam de suporte, apoio, rede, as mães solo mais do que todas precisam desse cuidado pra maternidade não se tornar opressora, exaustiva, angustiante. Em tempos de mulheres que se empoderam, que se aprofundam, que a gente tenha empatia e sabedoria pra trazer os companheiros ou ex companheiros pra parceria, pro cuidar junto, pra que eles assumam seus lugares pra que a gente também possa viver e alçar outros voos. Essa semana uma mulher que tanto me inspira postou um texto onde dizia ser possível o diálogo com o pai da filha depois de tanto conflito. Eu li e tomei como exemplo, para além das idealizações e das expectativas, esse post brota do coração com admiração pelo pai que você é @dejavudeumpoeta desde a primeira gravidez, assumindo os cuidados e os papéis. Porque as coisas mais importantes da minha vida vieram ao mundo através de você, é só por isso, e apesar de tudo, hoje meu peito está repleto de gratidão! ???

A photo posted by Carolinie Figueiredo Carolinie (@_carolinie) on

Vimos em vix

Falando sobre isso

Leave a Reply