Caixão é encontrado enterrado em quintal de uma casa. Mas ninguém esperava quem estava ali dentro há 141 anos

Imagine só se você está reformando o quintal de sua casa e, no meio da reforma, encontra um caixão de vidro com uma criança dentro?

Pois foi exatamente isso que aconteceu com Ericka Karner em São Francisco, nos Estados Unidos. Ela encontrou um pequeno caixão de chumbo, bronze e vidro em maio do ano passado e a descoberta causou alarme entre todos os moradores do bairro.

Desde então, a equipe de pesquisa de uma organização sem fins lucrativos da Califórnia, a Garden of Innocence, trabalhou duro para identificar quem era a menininha vestida de renda branca ao lado de uma delicada rosa vermelha, folhas de eucaliptos nas laterais e um forte cheiro de lavanda.

Foi constatado, então, que a pequena morreu com menos de dois meses de vida, em 13 de outubro de 1876, provavelmente de uma desnutrição severa causada possivelmente por uma infecção. Seu nome era Edith Howard Cook, filha de um casal da alta sociedade.

Edith foi uma das 30.000 pessoas que tinham suas sepulturas no antigo cemitério Odd Fellows. Entretanto, a maioria foi transferida para a cidade vizinha de Colma, em 1920, e, por isso, não há explicações ainda sobre o porquê de terem deixado o corpo da bebê para trás.

Os pesquisadores analisaram documentos dos arquivos do cemitério de Odd Fellows e localizaram um parente vivo para uma amostra de DNA: o senhor Peter Cook, sobrinho-neto da pequena Edith. Assim conseguiram verificar a identidade dela.

Ericka, a dona do local onde encontraram o caixão, foi informada de que, devido o corpo estar em sua propriedade privada, ela seria responsável por ele. A organização, então, ajudou-a com o velório e novo enterro da pequena que ganhou dos moradores o apelido de Miranda Eve. Participaram da cerimônia mais de 100 pessoas, de diferentes partes do Estado.

Vimos em imagememensagemoficial.com.br

Falando sobre isso

Leave a Reply