Cidade se mobiliza para salvar festa de aniversário de menino autista nos EUA

O Fantástico conta uma história emocionante: a mobilização de uma cidade inteira para salvar a festa de aniversário de um menininho nos Estados Unidos.

A foto do menino correu o mundo através das redes sociais. O rostinho do menino Glenn não esconde a tristeza. Era dia do aniversário de 6 anos dele, no início de fevereiro. Bolo, balões. Mas nenhum dos 16 convidados, seus colegas de classe apareceram para a festinha.

“Todos tinham que estar aqui às 12h. Quando deu 12h30 e não tinha ninguém, eu percebi que ninguém viria.  Eu fiquei triste porque teria que dar a notícia a ele.  Quando contei o que tinha acontecido ele quis chorar, mas escondeu o rostinho para eu não ver as lágrimas”, conta a mãe de Glenn, Ashlee Buratti.

Sem saber o que fazer, o que responder para o filho, Ashlee foi até o computador e desabafou: “estou com o coração partido pelo meu filho. Convidei a turma inteira para a festa, mas nenhum amigo veio. E ele não para de me perguntar: “quando meus amigos vão chegar?” estou me sentindo tão triste por ele”, dizia o post.

Ela postou a mensagem em um grupo que tem 11 mil seguidores – todos da cidade de St. Cloud, de 40 mil habitantes, na Florida. A primeira pessoa que respondeu foi Em Lambert, mãe de 3 filhos.

“Quando vi a foto do Glenn sozinho me senti triste.  Perguntei aos meus filhos se eles queriam ir. Eles não sabiam de quem era a festa, mas toparam.  Mandei uma mensagem para a mãe perguntando se poderíamos aparecer”, conta Em Lambert.

Quase ao mesmo tempo, no bairro ao lado, a mesma coisa acontecia com Stacey.

“Como pai eu entendi o que eles sentiam. E mostrei a mensagem para a minha mulher e respondi para a mãe do Glenn dizendo: ‘eu tenho 5 filhos, acho que podemos fazer uma festa’. Posso ir?”, relembra o marido de Martha Miller.

“Eu estava atrás dele no computador e ele me disse: ‘quer ir em uma festa de aniversário?’ E eu: ‘aniversário de quem?’ e ele: ‘eu não sei’.  E por que a gente iria? Por que ninguém foi na festa dele!”, conta Martha Miller, agente de segurança.

Uma hora e meia depois do desabafo da mãe na rede social, 25 pessoas, todas do mesmo grupo da internet – pessoas que nunca tinham se visto antes – chegaram na casa do Glenn trazendo seus filhos, ao todo, 15 crianças. E a festa, que a princípio era para ter só 16 convidados, acabou com mais de o dobro disso. No total, 40 pessoas cantaram parabéns a você para o Glenn.

“Quando chegamos, a casa estava pronta para uma festa de aniversário. Tudo bonito, tinham bolo, mesa arrumada e ninguém lá”, diz Em Lambert.

“Eu nunca pensei que as pessoas viriam para cá e fariam uma festa para ele”, comenta a mãe de Glenn.

Fantástico: Como você explicou para o seu filho o que estava acontecendo?
Mãe de Glenn: Eu contei para o Glenn que pessoas desconhecidas viriam para a festa e que elas seriam seus novos amigos. Ele ficou muito animado quando viu todo mundo.

Glenn tem dois irmãos. É um menino bonito, ativo, está sempre brincando.
Mas tem alguns problemas de saúde: ele sofre de epilepsia e de autismo em um grau muito leve. Toma 3 remédios por dia, um deles para conseguir dormir.

O Fantástico pergunta para a mãe se ela acha que o filho sofreu bullying por parte dos amiguinhos da escola.

“Eu não acho que ele sofreu bullying porque poucas pessoas sabem que ele tem autismo”, responde a mãe de Glenn.

As fotos da festa foram divulgadas na internet no dia seguinte e a repercussão da história foi tão grande, que novas supressas começaram a acontecer. A primeira delas é que ele continua recebendo presentes pelo correio. Tem brinquedo para brincar até o aniversário do ano que vem.

Irmãos e primo se juntam na brincadeira. Até parece um natal fora de época.
A segunda surpresa aconteceu quando ele chegou da escola no dia seguinte. “A polícia me ligou e disse que queria fazer uma surpresa pro Glenn. Falaram que iam comprar carrinhos de brinquedo iguais aos da polícia para ele. Eles apareceram com viaturas da polícia, dos bombeiros, com cães policias. E o Glenn pôde brincar com eles”, relembra a mãe do menino.

E não parou por aí.

“A polícia nos avisou 25 minutos antes que faria um sobrevoo pela casa. E eu preparei o Glenn para assistir e eles passaram aqui em cima”, conta a mãe de Glenn.

Um bombeiro, pai de uma garota da idade de Glenn, participou da operação.
Ele conta que a ideia de fazer uma festa surpresa partiu do chefe de polícia e mobilizou 5 bombeiros e 8 policiais. Ele diz que isso não é comum de acontecer, mas naquele momento sentiram que precisavam dar apoio ao Glenn e a família dele.

“O aniversário é algo muito importante para uma criança, significa o mundo para ela. Nós queríamos fazer algo pro Glenn não esquecer jamais”, afirma o bombeiro Brian Carroll.

Missão cumprida. Pelo pouco tempo que a equipe do Fantástico passou com Glenn, deu para sentir o quanto ele está feliz

Vimos em g1.globo.com

Falando sobre isso

Leave a Reply