Como é seu corrimento em cada fase do ciclo ou gravidez: imagens mostram detalhes

O corrimento vaginal é uma queixa muito comum das mulheres e, segundo o ginecologista e obstetra Alberto Guimarães, pode acontecer em qualquer etapa da vida, até mesmo durante a infância, quando geralmente é causado por fatores alérgicos. A partir da adolescência, com a produção de hormônios e funcionamento dos ovários, ele será mais notado até que, na fase adulta, tenha presença mais marcada.

Ele explica, porém, que a presença de secreção pode ser natural, ou seja, nem sempre traduz doença. “A vulva é uma região que tem certa umidade, pode ter liberação ou eliminação de alguma secreção”, afirma. Estas secreções vaginais possuem características diferentes dependendo da fase do ciclo ovulatório, menstrual e até durante a gravidez. Saiba como identificar pelas características do corrimento.

Tipos de corrimento

Clara de ovo

Entre uma menstruação e outra, quando a mulher está ovulando, é comum a liberação de uma secreção mais semelhante à clara de ovo, meio grudenta, transparente e viscosa. “É algo tranquilo, que não precisa de nenhum tipo de tratamento. Isso, inclusive, é um sinal para quem quer engravidar, indicando que está no período fértil”, diz.

Maisena derretida

Durante a gravidez pode haver uma secreção que lembra maisena derretida que, às vezes, fica no fundo da calcinha, especialmente no final da gestação. “Quando não tem a presença de coceira também é uma secreção que não precisa de nenhum tratamento”, explica.

Bolha de sabão

Uma secreção que tenha coloração acinzentada e se pareça a uma bolha de sabão, com odor fétido, dor na penetração e, depois das relações, aumento da vermelhidão no início da vagina e cheiro de peixe estragado pode indicar alguma alteração que requer tratamento. “Na maioria das vezes há de se considerar também o tratamento do parceiro”, afirma.

Leite coalhado

Na idade reprodutiva ou um pouco adiante, a mulher pode começar a ter, por exemplo, candidíase, que é a secreção e o corrimento que lembram leite coalhado, acompanhada de coceira. Se for algo repetido e fora do período gestacional, é importante consultar um médico, pois pode ser a manifestação clínica de uma alteração da glicemia.

Cuidados com a região vaginal

O médico explica que o corrimento normal só vira doença se combinado com outra infecção, por exemplo, através da relação sexual: “Não é que o corrimento se transforma, a mulher é que pode ser contaminada”, diz.

Para evitar problemas, os cuidados diários com a higiene íntima são essenciais. A melhor opção é usar um sabonete neutro durante o banho. Além disso, ele recomenda usar calcinha de algodão, secar com toalha macia após o banho, dormir preferencialmente sem calcinha, deixar ventilar bem a região e não abafar com roupas de lycra.

Em relação ao uso de produtos como sabonete íntimo, desodorante e protetor diário, ele diz que não necessariamente são vantajosos, pois podem alterar a flora vaginal, que tem um pH próprio e bactérias para defesa da região. “Se a mulher usa produtos que alteram o pH pode prejudicar e matar esta flora. Se o organismo se adapta a outro pH é um fator facilitador de doença. Tudo bem usar vez ou outra, mas não um uso rotineiro”, finaliza.

Vimos em vix

Falando sobre isso

Leave a Reply