Essa criança brasileira hoje tem 48 anos e parece o Hulk. Seus próprios músculos podem matá-lo

Valdir Segato mora em São Paulo, Brasil. Ele é construtor e passa uma parte importante do seu dia trabalhando na construção de casas e edifícios.

No entanto, ele adotou uma frase como sua filosofia de vida: “Este é o meu trabalho, mas minha paixão é realmente ver os meus músculos crescerem”. É por isso que quando não está trabalhando, ele vai para a academia e injeta em seus músculos Synthol: um óleo potencialmente mortal que “infla” a área do corpo em que é aplicado.

Hoje, depois de ter passado grande parte de sua juventude sendo chamado de “cachorro magro” pelos seus amigos quando era viciado em drogas, Segato parece radicalmente diferente.

O homem de 48 anos é conhecido como He-Man ou Hulk nas ruas de seu bairro e isso o faz se sentir bem consigo mesmo. Outras pessoas o chamam de “O Monstro”. Tudo o que o faz se sentir sobre-humano é bem-vindo.

A história começou quando o brasileiro queria superar seu vício em drogas como a cocaína. Ele era muito magro e estava muito fraco fisicamente. 

“Eu estava envolvido em drogas muito prejudiciais e comecei a perder peso, porque eu mal comia. Eu tinha uma vida completamente errada”, disse Segato.

Então, ele decidiu abandonar o estilo de vida decadente do porte de drogas, e se matriculou em uma academia e começou a se exercitar. Foi quando ele conheceu um homem que ofereceu Synthol. Segato imediatamente aceitou ao ver que os efeitos dos exercícios por si só não eram suficientes. Com a sua personalidade viciante, o óleo tornou-se seu novo “melhor amigo”.

E o problema aparece na primeira vista: um passado ligado a drogas pesadas como cocaína e sua atual obsessão com os músculos, o Synthol foi para Segato uma “solução” que se encaixou como uma luva. Os riscos, no entanto, são demasiado elevados.

Segato tinha sido avisado dos problemas enfrentados com a substância: amputação de braços, necrose e até mesmo a morte. Em adição, é claro, um vício terrível.

Seus amigos, por outro lado, fizeram olho cego para essa realidade perigosa

Fernando Carvalho, um amigo dele, disse: “O óleo é perigoso, mas eu sou seu amigo, então eu não vou dizer nada. Ele quer ser famoso e este é o risco que ele corre.”

Claro que Segato não vê a realidade como ela é. Os perigos são iminentes e isso pode custar muito caro. No entanto, ele continua injetando a substância.

Vimos em catholicus.org.br

Falando sobre isso

Leave a Reply