Jovem posta fotos antes e depois de sofrer ataque de pânico

“Estou cansada de ainda existir um estigma enorme em torno das doenças mentais”, disse Amber Smith

Esta é a britânica Amber Smith, 22 anos, marqueteira. E desde os 16 anos, ela tem que lidar com ansiedade, ataques de pânicoataques de pânico e depressão. No dia 3 de abril, ela decidiu postar duas fotos suas: uma antes e outra após sofrer um ataque de pânico. Junto com as imagens, ela escreveu um texto emocionante sobre o estigma que ainda existe em relação às doenças mentais. A seguir, confira o emocionante texto de Amber:

“Imagem de cima: Minha versão que mostro para o mundo via redes sociais. Vestida, maquiada em uma foto com filtro. O meu lado ‘normal’.

Imagem de baixo: Tirada hoje à noite, pouco depois de sofrer um ataque de pânico devido à minha ansiedade. Este também é o meu lado ‘normal’, só que as pessoas não o veem.

 panico-conteudo_20747_64136

Eu estou cansada do fato de ser 2016 e ainda existir um estigma enorme em torno das doenças mentais. Me enoja o fato de tantas pessoas serem mal informadas e julgarem quem tem uma doença mental.

Dizem que uma em cada três pessoas irá sofrer com uma doença mental em algum momento de sua vida. 1 em 3! Você tem ideia de quantas pessoas no mundo isso dá? E ainda assim, eu tenho lutado contra a depressão e a ansiedade por anos e tenho que ouvir comentários como “ahn, você vai passar por isso”, “você não precisa de remédios, é só ficar mais feliz”, “você é jovem demais para sofrer com isso”.

VÃO SE FERRAR. Vão se ferrar todos vocês que pensam que porque eu estou bem fisicamente eu não estou lutando com um monstro dentro da minha cabeça todos os dias.

Uma vez uma pessoa chegou a me dizer ‘você não é jovem demais para sofrer com ansiedade e depressão? Que motivo exatamente você tem para estar deprimida com essa idade?’.

Eu sou uma pessoa forte. Eu passei por problemas na vida, assim como todo mundo, e eu vou ficar bem. Eu tenho os melhores amigos e a melhor família ao meu lado e eu agradeço todos os dias o fato deles me ajudarem e apoiarem.

Para quem estiver passando pelo mesmo que eu, por favor, não sofra em silêncio. Existem muitos locais de apoio ao redor. Não tenha medo de pedir ajuda.

Não custa nada ser legal com os outros. Não intimide os outros, não os coloque para baixo e o mais difícil (já que todos fazemos isso em algum momento): não julgue a outra pessoa. Somos todos humanos apesar da nossa idade, raça, religião, saúde ou trabalho. Então, ajude o outro ao invés de atrapalhar”.

Vimos em http://www.minhavida.com.br

Falando sobre isso

Leave a Reply