Jovem volta de coma causado por doença contagiosa e faz alerta com fotos chocantes

A cabeleireira Charlene Colechin, 18, entrou em coma e quase morreu depois de contrair um tipo grave de meningite bacteriana. Ela compartilhou imagens suas durante a internação para alertar sobre os perigos da doença, que é contagiosa. Veja a seguir como prevenir-se.

Meningite: quão grave é a doença?

Em sua página no Facebook, Charlene publicou fotos fortes, que chegam a ser chocantes, e mostram seu corpo inchado e tomado por manchas arroxeadas. “Essas não são fotos bonitas, mas é a realidade do que a meningite pode fazer”, escreveu.

De acordo com informações do tabloide britânico Daily Mail, os sintomas começaram, em Charlene, com dores de cabeça e vômitos ao voltar do trabalho. No dia seguinte, sua condição se deteriorou e as manchas na pele causadas pela meningite começaram a aparecer. Charlene foi internada e, desde então, está lutando pela própria vida.

Em sua postagem, Charlene disse que chegou a “morrer”, mas foi trazida de volta pelos médicos. Suas pernas, pés e dedos dos pés acabaram sendo prejudicados por todo o ocorrido e agora ela, possivelmente, terá que amputar os pés, mas certamente perderá os dedos dos pés.

Leia o relato completo:

“Essas não são fotos bonitas, mas é a realidade do que a meningite pode fazer. Eu tive o pior tipo de meningite que se pode ter. Não sei como, mas o que estava acontecendo do lado de fora do meu corpo também estava acontecendo por dentro, envenenando meu sangue. Isso fez todos os meus órgãos falharem, o que me fez morrer, mas obviamente eles me trouxeram de volta. Como eles estavam se concentrando em manter viva a parte de cima do meu corpo, a parte de baixo acabou deixada de lado e meus pés ficaram ‘ferrados’, especialmente meus dedos. E agora eu posso perder meus pés, mas eu vou perder meus dedos em definitivo”.

Por favor, compartilhe esse post para alertar sobre quão séria a meningite pode ser”.

Atenção: as imagens a seguir são fortes.

Como prevenir a meningite

Vacinas

A vacinação é considerada a forma mais eficaz atualmente de prevenir a meningite. Existem seis tipos de vacina contra a doença. Quatro delas são oferecidas pelo Ministério da Saúde no Calendário Nacional de Vacinação:

BCG

Protege contra o bacilo da tuberculose, que também pode causar meningite. É administrada em uma dose logo após o nascimento.

Pentavalente

Previne a infecção pela bactéria Haemophilus influenzae B, causadora de meningite, além de proteger contra difteria, tétano, coqueluche e hepatite B. O esquema vacinal é composto por 3 doses dadas aos 2, 4 e 6 meses de idade e 2 reforços dados aos 15 meses e aos 4 anos.

Meningocócica C

Profilaxia para a meningite causada pela bactéria N.Meningitidis do sorogrupo C. As doses são dadas aos três e cinco meses de idade.

Pneumocócica conjugada 10-valente

Protege contra a bactéria S. Pneumoniae. A imunização é dada aos dois, quatro e seis meses de idade.

Meningocócica ACWY

Disponível só na rede particular, ela protege contra outros subgrupos de bactérias do tipo meningoco.

Meningocócica B

Também encontrada só em clínicas privadas, ela protege contra o meningococo B, uma bactéria “parente” do meningococo tipo C, que, como explica a imunologista Fátima Rodrigues Fernandes, coordenadora do grupo de imunização da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia, se tornou mais comum depois que a vacinação contra o subgrupo C resultou na diminuição de casos deste tipo.

Com a redução dos casos de meningite C, passaram a ser dados, em termos relativos, mais diagnósticos de meningites antes mais raras, como a B.

Eficácia das vacinas na prevenção da meningite

Qualquer micro-organismo patológico pode gerar uma meningite, que é a inflamação das meninges, “membranas” que circundam o cérebro e o sistema nervoso. Portanto, é impossível se vacinar contra todos eles e estar 100% protegido. Além disso, nenhuma vacina protege 100% contra as doenças e, no caso da meningite, a eficácia dessas imunizações contra meningite gira entre 70% e 80%.

Evite contato

Evite o contato com pessoas que sabidamente estão com meningite. O agente causador é transmitido, principalmente, por gotículas e secreções provenientes das vias respiratórias.

Caso você resida no mesmo local que alguém doente, converse com o médico para avaliar a possibilidade de também tomar os medicamentos para prevenir infecção no caso de meningite bacteriana e manter um monitoramento por pelo menos 10 dias.

Avise

É importante notificar os locais frequentados rotineiramente, como escola, faculdade e trabalho. Isso ajuda a aumentar a vigilância de outras pessoas que também poderão estar doentes.

Higiene

Outros cuidados para evitar a transmissão da doença são manter uma boa higiene das mãos, com uso de água e sabonete ou álcool em gel periodicamente, e evitar levá-las aos olhos e à boca, onde os micro-organismos podem “entrar” no corpo.

Vimos em vix

Falando sobre isso

Leave a Reply