Médica debocha nas redes sociais de paciente com nome incomum

Senhora de 65 anos foi exposta. Caso é apurado pela polícia, pelo Conselho de Medicina e pelo hospital.

Uma paciente de 65 anos procurou o Hospital Irmã Dulce, em Praia Grande, no litoral de São Paulo, na última quinta-feira (1/6), por estar com pressão alta. No local, ela foi atendida pela médica do plantão, Cláudia Regina Zanella, de 50 anos. A profissional orientou a senhora a tomar medicamentos na unidade.

“Eu voltei para a sala dela já com a pressão mais baixa. Ela me encaminhou a um cardiologista e pediu para eu tomar cuidado com o sal, mas não olhou para a minha cara”, disse Valmita Dias em entrevista ao G1.

Até então caso resolvido e vida que segue, certo? Errado. “Isso é um nome… Já imaginou quando ela era bebê?”, postou a médica em seu perfil pessoal no Facebook, com a foto do prontuário de atendimento.

Reprodução/ Facebook

No dia seguinte, o caso ganhou repercussão na internet. A filha de Valmilta questionou a mãe sobre a médica que a atendeu e mostrou uma foto de Cláudia. A paciente reconheceu a profissional na mesma hora. “Meus filhos estavam me protegendo, para eu não ver. Soube só mais tarde e fiquei chateada”, contou a aposentada.

Em seguida, a família procurou um advogado e registrou o caso na Polícia Civil. Ao G1, o delegado Juvenal Marques Filho, do 1º Distrito Policial de Praia Grande, informou que a ocorrência foi encaminhada à Delegacia da Mulher da cidade, para que seja apurada e os envolvidos sejam chamados para depoimento. O Conselho Regional de Medicina também instaurou uma sindicância para averiguação dos fatos. O prazo de apuração é de até dois anos.

A médica atende há 26 anos e pediu desculpas pelo ato. “Eu sempre faço comentários a respeito do meu plantão. Alguma coisa inusitada, alguma coisa triste. Nesse plantão (do atendimento da idosa), guardei esse nome. Não foi no sentido de tirar um barato. Foi no sentido de ficar abismada com o nome. Eu me arrependo muito, peço desculpas por isso. Minha vida está de pernas para o alto, não sei o que vai acontecer”, revelou à reportagem.

“O ser humano não vai ali (no hospital) de bobeira, ele quer atenção e um tratamento que tenha gesto de amor. Ela estudou para isso. Por que uma pessoa que tem tanto estudo faz isso (debocha) de outro ser humano?. Se eu tivesse que dar um conselho, eu falaria para ela (a médica) ter um pouco mais de amor no ser humano”, desabafou Valmita.

A direção do Hospital Irmã Dulce informou que a médica é terceirizada e notificou a empresa contratada para que ocorra o “afastamento imediato da profissional”.

Vimos em metropoles.com

Falando sobre isso

Leave a Reply