Mulher morre depois de diagnóstico errado: médicos disseram que era gravidez, mas era câncer

Quando Demi Wright, 22 anos, foi para o hospital com algumas dores, exames de sangue revelaram que seu corpo estava produzindo hormônios da gravidez e, por isso, ela foi encaminhada para a maternidade.

No entanto, passado algum tempo, a saúde da britânica piorou e ela foi internada em um hospital em Cambridge, no Reino Unido. Outros testes foram feitos e os resultados apresentaram uma forma agressiva de câncer conhecida como adenocarcinoma. Um tumor de 12 cm foi encontrado no corpo dela e a levou à morte três semanas após diagnóstico.

“Ela não tinha um osso ruim no seu corpo. Tinha um sorriso lindo e contagiante, que mostrava a sua personalidade”, disse o pai da jovem, Chris Wright, em entrevista ao jornal Colchester Gazette. “Tem sido devastador”, falou.

A confusão aconteceu porque Demi estava com uma condição rara, chamada gravidez molar. Isso ocorre quando, além de o feto não se formar adequadamente, a placenta cresce fora do controle, formando um tumor de célular indesejáveis. Ainda assim, o tumor pode continuar a produção de hCG, que é o hormônio da gravidez, dando a falsa impressão de que se trata de uma gravidez normal.

“Inicialmente, uma gravidez molar atua da mesma forma que uma gravidez convencional; os testes são positivos devido à libertação do hormônio hCG e há um crescimento no útero. É apenas quando a paciente chega na 12ª semana que uma gravidez molar é detectada”, disse a médica Helen Webberley à Huffington Post UK. “As células precisam ser removidas e a maioria das mulheres têm uma boa recuperação. No entanto, um diágnostico precoce é necessário, pois há uma pequena chance de de desenvolver um tipo de câncer, como parece ser o caso de Demi. Se isso acontece, a maioria das mulheres podem ser curadas”, explica.

A família de Demi está arrasada, mas querem que ela seja lembrada como a mulher forte e positiva que era. “Nos sentimos roubados. É preciso salientar quanta coragem ela tinha. Ela é nossa inspiração agora”, disse Gregory, o namorado da moça.

“Quando descobrimos que o câncer era terminal, ela se levantou, deu um tapinha na cama e disse: ‘Pai, venha e sente-se aqui’. Ela me deu um grande abraço e disse: ‘Vai ficar tudo bem’. No dia seguinte, ela faleceu”, lembra o pai de Demi.

image

Vimos em  Revista Crescer

Falando sobre isso

Leave a Reply