O PERIGO DE COMER CARNE DE PORCO E QUAL A FORMA CERTA DE COZINHÁ-LA PARA ELIMINAR OS RISCOS

Você gosta de carne de porco?

Cuidado!

Esta carne apesar de saborosa representa um alto risco à saúde.

Se ela não for corretamente preparada, existe grande chance de transmissão de perigosíssimos vermes.

Recentemente o ex-jogador de futebol Leonardo, que jogou em clubes como Corinthians, Palmeiras e Sport, morreu vítima de neurocisticercose, doença causada pela ingestão de carne de porco mal preparada.

A doença é simplesmente a infecção do sistema nervoso central causada pelo embrião do verme tênia.

Esta doença é muito séria.

Ela afeta gravemente o cérebro.

E é a principal causa de epilepsia adquirida nos países em desenvolvimento.

Seus principais sintomas são cegueira, convulsões e dores de cabeça.

E atinge cerca de 400 mil pessoas a cada ano na América Latina.

A tênia de porco (Taenia solium) infecta as pessoas através de carnes de porco mal cozidas ou contaminadas com fezes.

Enquanto ela permanece viva no corpo humano, não é perigosa.

Mas, quando entra em contato com o ácido gástrico no estômago, ela morre e se transforma em larvas, cistos chamados oncosferas.

As oncosferas podem migrar para dentro do músculo, olhos e cérebro, onde causam inflamação.

COMO SE PROTEGER

O ideal é não comer carne de porco.

Mas muita gente não aceita essa sugestão.

Se este for o seu caso, a dica é só consumir carne de porco feita em casa.

A carne deve ser preparada com bastante cuidado.

Primeiro deixe na salmoura, junto com um pouco de suco de limão e alecrim.

Isso vai iniciar o processo de desinfecção.

Depois cozinhe bem a carne.

Assim que estiver bem cozida, deixe a carne repousar por três minutos antes de cortá-la.

Isso vai ajudar a destruir quaisquer parasitas que possam estar presentes.

Além disso, a higiene adequada das mãos também é importante para prevenir a propagação da teníase.

Lave sempre as mãos após usar o banheiro.

Se você estiver numa área onde o saneamento é deficitário, considere sempre beber água engarrafada ou fervida (em panelas de vidro ou inox).

Esta é uma postagem  sobre tratamentos caseiros. Ele não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico.

Vimos em: curapelanatureza.com


Resposta da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos sobre este artigo.

 

De: Associação Brasileira dos Criadores de Suínos <[email protected]>

Assunto: Informação errônea sobre carne suína

Corpo da mensagem:
Represento a Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) e chegou ao nosso conhecimento a publicação do texto sobre perigo no consumo de carne suína, no qual afirmam, de forma errônea, que a doença neurocisticercose é decorrente da carne suína mal preparada. Solicitamos a retirada do texto.

Diferentemente do que foi dito na matéria, a carne suína não transmite cisticercose em nenhuma hipótese. A doença é contraída pela ingestão dos ovos da Tâenia Solium, que são eliminadas nos dejetos de seres humanos que tem no seu intestino a forma adulta do verme, a solitária. Caso uma pessoa consuma água ou alimentos contaminados com estes ovos, ela irá devolver as larvas (cisticercos) no seu corpo, podendo ocorrer na musculatura, vísceras (ex. fígado) e nos casos mais graves no cérebro (neurocisticercose).

No ciclo natural deste parasita os ovos eliminados junto as fezes humanas são ingeridos por suínos criados sem tecnificação, e estes desenvolvem os cisticercos na sua musculatura. Caso alguma pessoa se alimente da carne suína mal passada contendo cisticercos eles irão se desenvolver na forma adulta do verme, que é a teníase (ou solitária). A teníase não é uma doença grave é tratada facilmente através da ingestão de vermífugos.

Falando sobre isso

Leave a Reply