Preguiça de fazer exercício ou cansaço extremo: como conseguir diferenciar?

Após trabalhar o dia todo, chegou a hora de fazer a atividade física do dia, mas você se sente absolutamente esgotada. Seus movimentos ficam mais lentos, seu corpo parece ficar mais pesado e logo começam as desculpas (mentais) para matar a malhação. Será que é só preguiça ou um sinal de que seu corpo está esgotado e pedindo um descanso?

Diferenciar essas duas sensações é complicado, mas muito importante para garantir sua saúde e bem-estar físico, assim como para evitar que você sabote seu objetivo e não saia do lugar.

Falta de energia ou de motivação?

Confira na galeria alguns passos que você pode seguir para identificar qual é o caso e o que fazer em cada situação:

1 / 16
O que você deve fazer em primeiro lugar é eliminar possíveis causas de fadiga corporal. Caso não encontre nenhum fator que justifique o cansaço físico, você provavelmente só está com preguiça. Leve em consideração os seguintes fatores:

2 / 16
Que dia da semana é? Se você teve uma semana atribulada, é natural se sentir esgotada conforme ela vai chegando ao final.

3 / 16
Você está estressada? Teve muitas preocupações no dia? Neste caso, o que você pode estar sentindo é esgotamento mental. Apesar de isso influenciar a disposição para malhar, uma vez que você inicia o exercício, ele ajuda a esvaziar a mente e reabastecer sua energia.

4 / 16
Quando foi seu último dia de descanso? O corpo precisa de tempo para se recuperar. Malhar todos os dias sem pausa não só causa desgaste a ponto de prejudicar seu rendimento como coloca em risco a saúde.

5 / 16
A malhação ontem foi muito intensa? Se você começou um novo treino, malhou mais do que o habitual ou tentou um exercício diferente, pode ser que seu corpo tenha sentido a mudança e esteja pedindo tempo para se adaptar.

6 / 16
Como anda o sono? Muita gente insiste em subestimar a importância de horas bem dormidas e em quantidade suficiente, mas este fator influencia diretamente na sua disposição e na resposta do seu corpo ao exercício físico. Dormir bem significa ter mais resultado no treino.

7 / 16
Você está com outro sintoma físico além do cansaço? Dor de cabeça, tontura, dores no corpo e dificuldade para realizar tarefas simples, como levantar da cadeira ou caminhar alguns passos, indicam que seu corpo está esgotado.

8 / 16
Você está procurando desculpas para não ir malhar? Quando falta energia, mas há motivação, você geralmente tenta justificar para si por que deve treinar apesar do estado físico. Quando falta motivação, mas há energia, você tenta se convencer do por que NÃO deve ir à academia.

9 / 16
Faça a seguinte pergunta a você mesma: se alguém muito interessante me chamasse agora para um encontro ou happy hour com amigos, eu me animaria ou ainda assim iria preferir ir para casa
10 / 16
Se o treino do dia é alguma atividade da qual você não gosta muito, imagine-se fazendo outro exercício, como natação, dança, enfim, algo que te dê mais prazer. Ficou empolgada ou continuou desanimada? Pode ser o caso de trocar a programação na academia.
11 / 16
O que fazer? Se você chegar à conclusão de que o esgotamento é mental/emocional, não deixe de ir malhar. Você está com energia suficiente para gastar, e o exercício ajudará – e muito – a aliviar a tensão e acalmar os nervos.

12 / 16
Se você concluiu que tem sobrecarregado o corpo com muito treino, se dê um descanso. Não pense que estará comprometendo o resultado, mas sim garantindo um desempenho melhor no próximo treino e assegurando seu bem-estar.

13 / 16
Se você tem dormido pouco, não pense duas vezes: vá para casa e recupere as horas de sono. É até provável que, ao iniciar o treino, seu cansaço pudesse passar (temporariamente), mas seu corpo não trabalharia no máximo potencial e você estaria só se esgotando mais.

14 / 16
Se você tem sentido fadiga há algum tempo e de modo constante, é bom consultar um médico. Pode ser que algum fator esteja roubando sua energia – falta de um nutriente específico, sobrecarga de exercício e desequilíbrio hormonal são algumas das possíveis causas.
THINKSTOCK

15 / 16
Se o problema for a atividade do dia, talvez seja melhor buscar alternativas para realizar o mesmo tipo de exercício – caso contrário, essa autossabotagem tende a continuar acontecendo. Lutas, Pilates ou treino em circuito podem ser alternativas.
16 / 16
Por fim, se o caso for mesmo preguiça, a melhor alternativa é não matar o treino, mas apostar em algo mais leve e divertido para o dia. Ao invés de fazer 40 min de esteira, faça apenas 20 – ou melhor, caminhe no parque – ou então uma aula mais agradável. Pegue leve, mas vá.
vimos em:bolsademulher

Falando sobre isso

Leave a Reply