Refrigerante diet é ameaça pior que diabetes – e seu maior problema é o adoçante que se usa nele!

As vendas de refrigerante diet caíram muito nos últimos tempos nos Estados Unidos.

É que lá o nível de informação é bem alto e os fatos são noticiados com mais facilidade.

E uma sociedade bem informada pode fazer escolhas melhores.

À medida que se espalha a notícia de que o aspartame – o adoçante principal dos refrigerantes diet – é uma perigosa substância, capaz de causar convulsões que causam e uma série de outros problemas de saúde, as pessoas vão deixando de lado essa bebida.

Em um estudo feito ao longo de dez anos, uma amostragem com 60.000 mulheres, mostrou que as mulheres que bebem duas ou mais bebidas diet por dia têm taxas de doenças cardiovasculares muito mais elevadas e, por isso, são mais propensas a morrer dessas doenças.

Nesse, que foi o maior estudo sobre o assunto, cientistas da Universidade de Iowa concluíram: “Em comparação às mulheres que nunca ou só raramente consomem bebidas dietéticas, aquelas que consomem duas ou mais por dia têm 30% mais probabilidade de ter um evento cardiovascular [ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral] e 50% têm mais probabilidades de morrer de doenças relacionadas”.

Segundo dr. Ankur Vyas, o investigador principal do estudo, os resultados se associam aos de alguns trabalhos anteriores, especialmente os que ligam bebidas dietéticas com a síndrome metabólica

A associação persistiu mesmo depois que os pesquisadores ajustaram os dados para explicar as características demográficas e outros fatores de risco cardiovascular, incluindo índice de massa corporal, tabagismo, uso da terapia hormonal, atividade, consumo de sal, diabetes, hipertensão, colesterol alto e consumo de açúcar.

Em média, as mulheres que consumiam duas ou mais bebidas diet por dia eram mais jovens e mesmo assim tiveram uma maior prevalência de diabetes, pressão arterial elevada e maior índice de massa corporal.

Este estudo é mais um alerta contra o consumo de refrigerante diet, um dos produtos que mais usam aspartame.

O mais irônico é que as pessoas que consomem aspartame acham que estão fazendo uma substituição saudável do açúcar.

Mas na verdade esse adoçante artificial mata mais do que o açúcar refinado, que jé uma “bomba”.

A ciência já descobriu que existem conexões entre o aspartame e doenças como tumores cerebrais, lesões cerebrais e linfomas, além de câncer de bexiga, falência dos rins, danificação das válvulas das veias das pernas e retinopatia, que os médicos atribuem ao diabetes.

Em 1996 a FDA divulgou uma lista de 92 sintomas de envenenamento por aspartame.

Conclui-se, portanto, que o aspartame não é um alimento seguro para consumo humano.

Não consuma aspartame e nada que o contenha.

O adoçante mais seguro é o stévia, que é totalmente natural.

Alerta para quem faz musculação

Os consumidores de dietéticos que contêm aspartame ou efedra são predispostos a doenças cardiovasculares e, em longo prazo, podem ter ataques cardíacos e morte repentina (miocardiopatia).

Este alerta foi publicado num artigo do New York Times.

O aspartame não oferece risco somente aos diabéticos, mas também aos jovens que frequentam academia de musculação.

Associado com cálcio e proteína (ou pantotenato de cálcio), o aspartame pode causar deformação na região frontal do rosto, ou melhor, na testa, com o aumento da massa óssea, principalmente em pessoas portadoras de sangue do tipo A ou AB.

A deformação frontal é uma maneira que o organismo encontra para proteger o cérebro de calcificações e formação de tumores cerebrais por excesso de cálcio na região do crânio.

A questão é que o aspartame é encontrado também nos suplementos alimentares usados pelos atletas que consomem proteína em pó.

Os atletas do sexo masculino que consomem produtos proteicos que contenham aspartame ficam malhados, mas são candidatos a doenças cardíacas, tumores no cérebro e impotência sexual.

As mulheres que fazem academia e usam os produtos proteicos, por sua vez, cessam completamente as menstruações e ficam estéreis, além de perder a libido. Outros sintomas incluem fadiga, ganho de peso, depressão, variação de disposição, mudanças da personalidade e amenoreia.

Portanto, você que faz academia de musculação, quando for comprar suplementos proteicos, verifique se ele tem aspartame.

Devido a vários artigos recentes sobre mortes repentinas (miocardiopatia) e os numerosos relatórios dos atletas que caem mortos pelo provável uso de bebidas dietéticas e suplementos com proteínas ligados com o aspartame, o dr. James Bowen, M.D., escreveu um profundo relatório sobre o aspartame e mortes repentinas.

 

Notícias sobre tratamentos caseiros. Ele não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico.

Vimos em curapelanatureza

Falando sobre isso

Leave a Reply