Une élève de CE1 travaille en classe, le 05 décembre 2011 à l'école privée Immaculée Conception de Seclin. AFP PHOTO PHILIPPE HUGUEN

Sinais de que seu filho sofre com stress infantil

Crianças estão apresentando sinais de stress cada mais cedo, mas não é sempre que os pais notam ou identificam o excesso de carga emocional. Uma pesquisa do portal WebMD aponta que 1 em cada 5 pais e mães sofrem com níveis máximos de stress, ou seja, de um a dez, eles indicam dez. Já 57% diz dar nota 7 ao seu nível de irritabilidade. Mas, apesar dos altos níveis dos adultos, 60% deles afirma que o nível de stress das crianças é abaixo de quatro.

“Os pais estão aceitando o seu próprio estresse, mas eles não reconhecem a ligação entre o que está acontecendo na família e como isso está afetando seus filhos”, diz Sandra Hassink, presidente da Academia Americana de Pediatria. “O estresse de uma criança pode aumentar juntamente com o estresse familiar”, diz Sandra.

A pesquisa também revela que 72% das crianças que apresentam um comportamento negativo também tiveram outros comportamentos relacionados. Veja quais são os sinais de estresse que a pesquisa identificou:

– 43% dos pais disseram que seus filhos estavam discutindo mais;

– 37% relataram aumento de choro e da lamentação;

– 34% disseram que seus filhos pareciam preocupados e ansiosos.

Um outro sintoma importante neste diagnóstico é o bullying. 38% dos pais disseram que seus filhos sofrem ou já sofreram.

Já quanto aos sintomas físicos, os pais responderam que:

– 44% relataram que seus filhos se queixaram de dores de cabeça;

– 44% relataram dores de estômago;

– 38% relataram pesadelos ou problemas para dormir.

Sandra ainda avalia o stress como o principal problema de saúde das crianças hoje. “Eu acho que a infância hoje é muito mais estressante hoje, pois as crianças absorvem todo o stress dos pais”, completa ela.

Quando questionados sobre como lidar com o estresse dos filhos, a maioria dos pais disseram oferecer jogos de vídeo ou de TV e filmes – “atividades solitárias” Hassink avalia. “O tempo que eles passam com um pai ou um avô jogando um jogo de tabuleiro, empinando uma pipa, cozinhando uma refeição em família são os que constroem memórias felizes. São eles que mais fortalecem a capacidade da criança para lidar com o estresse”.

Identificando o estresse em crianças

De acordo com Marilda Novaes Lipp, especialista em estresse e fundadora do Instituto de Psicologia e Controle do Stress (IPCS-SP), a entrada no primeiro ano escolar é o período mais estressante para as crianças e, em todas as faixas etárias, o estresse atinge mais as meninas do que os meninos. “Toda mudança é capaz de gerar estresse e a entrada na fase escolar representa uma dessas mudanças. Convívio com outros colegas, início da competitividade, professores não muito tolerantes, imposição de limites, tudo isto pode gerar estresse”, explica ela.

Se não for tratada, a criança com estresse pode se tornar um adulto estressado ou vulnerável a desenvolver um quadro de estresse. Para isso o auxílio de um psicólogo, de preferência com experiência em estresse é indicado para que a criança aprenda a lidar com as situações estressantes.

“Se a criança for ensinada a lidar com os estresses da vida, após o episódio de estresse, ela poderá ficar mais fortalecida, como se tivesse sido vacinada. Mesmo aquela que passa por grandes problemas, pode vir a ser um adulto saudável se tiver ajuda para adquirir estratégias de enfrentamento do estresse”, conclui.

São sintomas do estresse infantil:

  • Mau humor
  • Irritabilidade
  • Hipersensibilidade emotiva
  • Dor de cabeça, dor de estômago
  • Dor nas pernas
  • Inquietude
  • Problemas de pele

Vale lembrar que a predominância de um só sintoma não significa que a criança tenha estresse. É necessário que vários sintomas ocorram ao mesmo tempo para que o diagnóstico seja feito.

Vimos em http://mdemulher.abril.com.br

Falando sobre isso

Leave a Reply