Suspeito de matar família em Pioz: “Abrir alguém no meio dá trabalho”

Novos detalhes divulgados pela polícia mostram a conversa entre o assassino confesso da família brasileira em Pioz, na Espanha, François Patrick Gouveia (20) e Marvin Henriques Correia, suspeito de participação no crime. Pelo WhatsApp, os dois falaram sobre o crime e como Patrick poderia evitar ser descoberto.

Em um dos trechos, Patrick afirma para o amigo, que estava no Brasil, como era difícil esquartejar alguém. “Para abrir alguém no meio dá trabalho demais”, escreveu. Marvin, então, respondeu: “Eu imagino, deve ser duro”. Os dois conversavam em tempo real durante a execução do crime. As informações são do G1.

Reprodução/Polícia Civil da Paraíba
REPRODUÇÃO/POLÍCIA CIVIL DA PARAÍBA

Durante a troca de mensagens, Patrick relatou com detalhes como matou a tia e dois primos. Marvin pergunta qual das três vítimas ele matou primeiro e assassino confesso responde: “Na mulher, depois a mais velha (a prima de três anos) e depois no moleque de um ano.”

Patrick também falou que cortou a garanta de Janaína para matá-la, enquanto os primos assistiam à cena e gritavam. “As crianças ficaram gritando. Massa que os pirralhos nem correm, só ficam ‘travadão’. O pirralho de um ano falava algumas coisas, mas na hora falava nada, não”, detalhou com frieza.

Reprodução/Polícia Civil da Paraíba
REPRODUÇÃO/POLÍCIA CIVIL DA PARAÍBA

Marvin, então, dá dicas ao amigo de como abandonar a casa sem levantar suspeitas. “Sai pela frente mesmo, de manhã, como se fosse caminhar ou algo do tipo. Sei lá. De madrugada pode parecer suspeito. Mas eles não vão descobrir nem tão cedo as mortes”, escreveu.

Em um outro momento, enquanto esperava o tio Marcos retornar do trabalho, para matá-lo também, Patrick comenta que achou que fosse vomitar, mas que não sentiu nojo e chegou até a rir quando começou a cortar o corpo dos parentes. Por fim, revelou a raiva que sentiu pelo esforço de esquartejar as vítimas.

Reprodução/Polícia Civil da Paraíba
REPRODUÇÃO/POLÍCIA CIVIL DA PARAÍBA

Patrick contou também que cortou os corpos ao meio e separou os órgãos em sacolas. Para evitar que o cheiro se espalhasse, ele as isolou com fita adesiva. “A mulher e as duas crianças foram para o saco. Estão guardados e a casa está limpa, me limpei. Estou só esperando o quarto integrante”, afirmou.

Relembre o caso
Os corpos de Marcos Nogueira e Janaína Santos Américo, de 39 anos, e os filhos deles, uma menina de 3 anos, e um menino de 1 ano foram encontrados esquartejados dentro de casa, no povoado de Pioz, na Espanha, no dia 18 de setembro.

Patrick Gouveia, sobrinho de Marcos, confessou o crime. “Senti um ódio incontrolável, algo me dizia que devia matá-los”, afirmou aos policiais.

Falando sobre isso

Leave a Reply