Tintura: entenda o que funciona com a cor natural de seu cabelo

MORENAS – CAROL KASTING

Agência Fotosite

Quem tem fios escuros precisa ter um único grande cuidado: evitar luzes em tons de loiro com fundo frio. Elas são perigosas. “Dependendo da tonalidade de pele da mulher, esse tipo de tonalidade pode envelhecer o visual”, alerta Eron. Portanto, melhor investir nos loiros-dourados, que são mais democráticos e funcionam com qualquer cor de fundo natural e cor de pele. “As técnicas mais atuais para as morenas que querem iluminar os fios são as que imitam o queimado de sol sem mexer na cor do fundo original, como o sombré e o bronde”, explica Jackson Nunes, cabeleireiro de São Paulo. E a raiz? Será que é melhor tingi-la também, ou não? Os experts aconselham a neutralizá-la. “Independentemente da técnica de clareamento escolhida, a raiz deve ser neutralizada sempre. Além de trazer profundidade e naturalidade, isso diminui o intervalo entre os retoques e preserva a saúde dos fios”, diz Eron. O alerta vale ainda mais se essa for a primeira vez que você clareia o cabelo – neutralizar a raiz causa menos estranhamento na frente do espelho. E lembre: o segredo para o visual natural é nunca optar por métodos que deixam as mechas muito marcadas.

RUIVAS – MARINA RUY BARBOSA

Agência Fotosite

Clarear o cabelo ruivo, tanto o natural quanto o tingido, não é tarefa fácil, pois a cor pode manchar ou desbotar demais durante o processo. Para as ruivas, a melhor pedida é investir na luminosidade que alguns fios mais claros podem dar ao visual – não é muito aconselhado investir em técnicas que deixem as pontas do cabelo loiro demais, por exemplo. O jeito mais seguro para reavivar a cor e dar um toque de luz ao ruivo é começar o processo de clareamento com um tonalizante. “Acobreados mais escuros podem receber algumas babylights, já que o truque dá luminosidade e um contraste bonito com a cor avermelhada”, ensina Eron. Jackson também indica fazer luzes bem fininhas, que devem começar sempre distantes da raiz e seguir por todo o comprimento do fio.

LOIRAS – FIORELLA MATTHEIS

Agência Fotosite

Para quem já nasceu loira, mas tem o desejo de revitalizar a cor ou investir em uma versão mais clara do tom natural, são várias as opções. “A maioria das técnicas e nuances que existem funciona muito bem em quem tem os fios originalmente loiros”, afirma Proença. O vantajoso é que as loiras têm uma possibilidade maior de alcançar cores claras com facilidade. Essa base natural também é boa para brincar com técnicas variadas, pois ela não cria grandes desarmonias entre os tons e o efeito costuma ficar sempre muito natural. “A pedida da vez nos salões são os loiros com fundo frio e acinzentado, como o ice blonde, cor que tem um fundo bem branco e leva zero pigmento dourado”, diz Proença. “As babylights e as mechas invisíveis também caem bem nas loiras naturais”, opina Juha. Para quem quer apenas iluminar o rosto, Proença recomenda fazer algumas mechinhas espalhadas por toda a cabeça com uma tonalidade superclara. Assim, elas vão contornar a face e deixar o visual bem leve. “Para finalizar, dê acabamento esfumando um pouco da cor mais clara na raiz. Isso suaviza o visual”, aconselha Marcos Proença.

POSSO PLATINAR? – BRUNA LINZMEYER

Agência Fotosite

Clarear o cabelo ao extremo é um processo complicado e causa danos às madeixas – quanto mais escuro e grosso for o seu fio, mais difícil será alcançar o tom perfeito. Também vale saber que nem sempre é possível chegar à cor desejada em uma única sessão. Por isso, tenha paciência. “O que determina o tom do platinado de cada cabelo é a resistência do fio. Independentemente da cor natural, é preciso fazer a despigmentação em doses homeopáticas, junto a uma reposição de proteína, já que o procedimento agride muito”, explica Eron. O processo começa com a decapagem, em que o pigmento natural ou artificial é removido e depois, dependendo do caso, é aplicado pó descolorante ou tinta clareadora. Loiras naturais e com pele clara podem realizar a técnica em toda a cabeleira. Para as morenas, o conselho é fazer um degradê, deixando somente as pontas prateadas. E lembre: quem optar por platinar o cabelo inteirinho terá que retornar ao salão a cada 15 dias para efetuar a manutenção na raiz.

Vimos em http://mdemulher.abril.com.br

Falando sobre isso

Leave a Reply