Transição capilar: como voltar a ter cabelo cacheado após a progressiva

Opção 1: hidratar, cortar e disfarçar

Nenhum método é tão eficaz e seguro para eliminar o alisamento quanto o composto por esse trio. Mas é preciso ter muita paciência. Serão pelo menos seis meses de tratamento em casa com visitas mensais ao salão.

Em casa

Hidrate: use máscaras ricas em óleos essenciais (como argan e coco) para nutrir e produtos à base de queratina para dar força. Intercale o uso delas. Aplique de uma a duas vezes por semana e deixe agir por 10 minutos. Bônus: se o cosmético tiver silicones na fórmula, melhor ainda, já que essa substância forma um filme no fio, protegendo-o das agressões externas.

Disfarce: para camuflar a dupla textura (comprimento alisado e raiz natural), você pode usar um ativador de cachos. “Com o cabelo molhado, aplique o produto na região que ainda tem progressiva e amasse bastante com as mãos”, ensina Marcos Coraza, do salão Gilberto Cabeleireiros, de São Paulo. Deixe secar naturalmente. Você também pode enrolar os fios com babyliss: aplique o equivalente a uma maçã de mousse da metade do comprimento para baixo, seque com secador e, para finalizar, use um modelador de espessura média. O segredo é mantê-lo na horizontal – o resultado fica menos marcado. Também dá para disfarçar com uma trança ou coque lateral com acabamento bagunçado e lenços amarrados de uma forma que esconda a raiz.

No salão

Reconstrua: procedimentos à base de queratina e aminoácidos, mais concentrados e feitos por profissionais, são importantes para recuperar a massa capilar perdida com a progressiva. “No começo, recomendo o tratamento a cada 15 dias. Depois, é preciso dar um intervalo maior para que os fios não fiquem pesados”, diz Debora Melro, cabeleireira do salão Studio W Iguatemi, de São Paulo. Outra opção é o procedimento feito com ácido hialurônico. “Ele é muito eficaz, pois ele elimina a porosidade do fio, que fica macio”, explica Marcela Buchaim, tricologista do Spa do Cabelo, de São Paulo.

Corte: se você desistir do retoque da progressiva e notar que suas pontas estão espigadas, é melhor cortar pelo menos três dedos do comprimento. Depois desse primeiro corte, a manutenção pode ser feita a cada três meses – cortar o equivalente a um dedo é o suficiente.

GIF
Reprodução

Opção 2: amônia para retirar a progressiva

Se a vontade de voltar a ser cacheada por muito grande, você pode tentar usar o Hydra Clear, da Bien Cosméticos, que acaba de chegar ao mercado.

A amônia, principal componente do produto, penetra na fibra capilar através de pequenas fissuras. Ali eles destroem a capa feita pelo formol e a carbocisteína, usados na maioria das progressivas. A promessa da marca é devolver de 60% a 80% da ondulação natural. Se uma aplicação não for suficiente, é preciso esperar no mínimo duas semanas para usar o produto novamente.

Com a capa removida, os danos da química vão aparecer. “Para ajudar na recuperação, é aplicada uma carga de queratina logo após o uso do Hydra Clear, seguida por um neutralizante e um ativador de cachos”, diz Robson Trindade, visagista da Red Team, de São Paulo.

Parece milagre, mas a amônia, responsável por romper a cápsula e o ácido mercaptotanóico, ativo que fecha a cutícula dos fios, também é agressiva e pode danificar ainda mais as mechas. “Dependendo do grau de ressecamento, o cabelo pode não resistir ao produto e quebrar”,  diz Eron Araújo, cabeleireiro do salão Blend, de São Paulo. Mesmo assim, se você quiser arriscar saiba que será preciso investir, sem economia, em reconstruções e nutrições para devolver brilho e maciez após o procedimento.

vimos em:mdemulher

Falando sobre isso

Leave a Reply