Transplante de ovário: como é o método que permite mulher infértil engravidar

Algumas condições, como tratamento de um câncer, podem alterar a produção de hormônios e a capacidade reprodutiva da mulher. A ciência acaba de descobrir uma opção segura para restaurar essas perdas. Trata-se do transplante de ovário, técnica relativamente nova, mas bastante promissora.

Como é feito o transplante de ovário?

O transplante de ovário é feito através de uma cirurgia, em que a mulher infértil recebe uma parte de tecido ovariano saudável. O implante é capaz de restaurar a produção hormonal e a fertilidade. O mais indicado é que a mulher congele alguns de seus próprios ovários antes de iniciar o tratamento do câncer – potencialmente infertilizante – e passe pelo procedimento depois. Dessa forma, são eliminadas as chances de rejeição às células estranhas ao corpo.

Novo estudo mostra recuperação da fertilidade

Após o transplante, a fecundação pode voltar a ser possível.

Um estudo publicado na revista científica Journal of Human Reproduction avaliou os efeitos do transplante ovariano sobre a fertilidade. Os médicos responsáveis pela pesquisa realizaram o transplante de ovário em 32 mulheres que passaram por tratamento para câncer. Inicialmente, elas tiveram seus ovários congelados e, quando curadas, fizeram o reimplante. Dez dessas mulheres tiveram gestações saudáveis.
Os pesquisadores apontaram que o tratamento pode ser benéfico também em casos que o motivo da infertilidade sejam outros, como alterações hormonais da menopausa. Eles esperam que os médicos passem a oferecer mais esse tipo de tratamento. “Muitos ainda não fazem por receio do risco, considerado pequeno, de que haja células cancerígenas no material a ser transplantado”, afirmaram.

Primeiros transplantes de ovários

O primeiro bebê concebido após um transplante de ovário nasceu em Bruxelas (Bélgica), no ano de 2004. No Brasil, o primeiro transplante de ovário país aconteceu em 2012, na cidade de Maringá, no Paraná. No caso, o tecido ovariano recebido era da irmã gêmea da paciente.

Quem pode fazer?

A técnica ainda é pouco realizada, principalmente no Brasil, porque trata-se de um procedimento novo. Apesar disso, estudos mostram que o transplante de ovário é seguro para recuperar a fertilidade e que pode, até mesmo, ser uma forma de tratamento para a diminuição dos hormônios que ocorrem com a menopausa.

Vimos em http://www.bolsademulher.com

Falando sobre isso

Leave a Reply