Um bonsai de 1625 que sobreviveu a bomba atômica de Hiroshima

Um bonsai secular que sobreviveu ao bombardeio de Hiroshima está fazendo manchetes em todo o mundo, mas seus cuidadores desejam que a atenção se concentre mais no papel da árvore na paz do que na guerra.

O pinho branco japonês, que foi envasado há 390 anos, pertencia a uma família que vivia a menos de três quilômetros de onde as forças americanas derrubaram a bomba atômica há 70 anos nesta semana. A família cuidou da árvore por cinco gerações antes de dar aos Estados Unidos em 1975.

curator-bob-pine-usda-quarantine-web-resize-jpg__1072x0_q85_upscale

À medida que todo aniversário do bombardeio, ocorrido no dia 6 de agosto de 1945, se aproxima, a história da árvore se fortalece cada vez mais.

Entendia-se que o bonsai “não havia sido dado por causa de Hiroshima”, diz Kathleen Emerson-Dell, que ajuda a cuidar da árvore no complexo “US National Arboretum” em Washington, DC: “Foi um dom de amizade e conexão – a conexão de duas culturas diferentes . ”

De fato, o “Arboretum” não tinha conhecimento da conexão de Hiroshima até 2001, quando dois netos do mestre de bonsai Masaru Yamaki visitaram o Museu Nacional de Bonsai, dentro do mesmo complexo, procurando a árvore do seu avô. Yamaki havia dado a árvore aos Estados Unidos antes do bicentenário do país.

Família Yamaki

Família Yamaki

O bombardeio de Hiroshima foi um dos dois ataques com bomba atômica (outro foi em Nagasaki) que levou ao fim da Segunda Guerra Mundial, matando cerca de 140.000 pessoas e destruindo toda a cidade. As árvores perfeitamente trabalhadas de Yamaki, incluindo o pinheiro branco, estavam protegidas num viveiro murado.

A cidade de Hiroshima após o bombardeio

Não sobrou quase nada

Agora, espera-se que as pessoas vejam a árvore como uma celebração da sobrevivência. “Estendendo a mão para tocar no pote: É como tocar na história”. relata a responsável Kathleen.

O presente tem um profundo significado de perdão, convivência com diferenças e o cuidado pela vida.

Este é um site de noticias, curiosidades e tratamentos, ele não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico.

Falando sobre isso

Leave a Reply