Um homem diz a um menino de 5 anos, autista, que ele “pertence a um zoológico”

Uma mãe ficou horrorizada quando um completo estranho disse a seu filho autista de cinco anos de idade que ele “pertencia a um zoológico”.

Makonnen Hirose foi ridicularizado por um homem sentado em frente a ele em um ônibus, depois que o jovem começou a fazer barulhos de animais.

 Mika Hirose, de 41 anos, diz que levaria seu filho para uma sessão de terapia em Cold Ashton, Bristol, quando um homem de 60 anos fez o comentário.

Makonnen estava de bom humor, estava cantando e cantarolando para si mesmo quando um casal subiu no ônibus e sentou na frente deles.

Uma senhora começou a conversar com o estudante Makonnen, que freqüentava a Escola Primária May Park em Eastville, mas foi-lhe explicado que o rapaz tem capacidades limitadas.

Mika Hirose com seu filho Makonnen Hirose (Foto: SWNS)
Mika Hirose com seu filho Makonnen Hirose (Foto: SWNS)

O estudante obcecado por animais, de Fishponds, Bristol, então começou a fazer barulhos agudos, algo que ele costuma fazer quando está em locais públicos como uma forma de evitar o stress.

Makonnen sofre de transtorno de processamento sensorial, o que significa que ele faz barulhos inesperados, bate as mãos e bate a cabeça ou o corpo contra as paredes.

Mika, que é originária do Japão, diz que o homem começou a imitar seu filho como se estivesse brincando com ele e depois do nada, disse que ele deveria estar em um zoológico.

Ela respondeu: “Ele é bastante obcecado com animais – vacas, cachorros, gatos, cabras – sons que você não espera ouvir muito dentro de um ônibus.”

“Notei que o homem estava copiando os ruídos que meu filho estava fazendo como se estivesse zombando dele. Então ele disse, de repente: ‘ele deveria estar em um zoológico’. Se eu pudesse voltar agora, eu perguntaria por que ele disse isso a Makonnen. Senti que meu filho foi discriminado.”

Makonnen geralmente fica ansioso em público (Foto: SWNS)
Makonnen geralmente fica ansioso em público (Foto: SWNS)

Mika disse que a pior coisa sobre o incidente foi que o homem havia acabado de ouvi-la explicar que o seu filho tinha autismo.

Ela quer aumentar a conscientização sobre as dificuldades que as pessoas autistas e suas famílias enfrentam, na esperança de que outros mostrem mais compreensão.

“Ninguém deve se sentir como um estranho”, disse ela.

“Temos todos o mesmo espírito. Não importa que ele seja autista e não possa falar – as pessoas precisam cuidar e apoiar uns aos outros. ”

 

Este é um site de noticias, curiosidades e tratamentos, ele não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico.

Falando sobre isso

Leave a Reply