Unhas do bebê: cuidados

Muitos bebês já nascem com as unhas compridas, e se não forem mantidas aparadas, eles podem se arranhar e se ferir acidentalmente. Você pode até delegar essa função para o pai, a sua mãe, a sogra, a madrinha, mas em algum momento terá que ser você mesma a cortar as unhas do pequeno. Que tal enfrentar o medo e saber como realizar essa tarefa com segurança?
Escolha o melhor momento
Geralmente os bebês não param quietos e não gostam de cortar as unhas – nesse caso, o risco de cortar a pele é maior. Escolha um ambiente calmo e claro. O ideal é esperar para cortá-las quando ele estiver dormindo ou mamando. As unhas do bebê são finas e macias, não é preciso força para cortá-las, é só uma questão de jeito.
Mãos à obra!
Você pode utilizar tesoura de pontas arredondadas ou cortador, especiais para bebês, o que achar mais fácil de manusear. O Dr. Jorge Huberman, pediatra e neonatologista do Hospital Albert Einstein, recomenda que o corte seja reto e realizado a cada dois ou três dias, já que as unhas crescem muito. Pressione um pouco os dedinhos para visualizar melhor onde acaba a unha e começa a pele e procure deixar em torno de 1 mm, para não machucar o bebê. Alternativamente, você pode optar por lixar, com uma lixa de uso exclusivo do bebê.
“Se notar que a unha está encravada, leve seu filho ao pediatra para ser examinado. Não tente desencravar. Lave com bastante água e sabão para não inflamar”, orienta o Dr. Huberman.

Falando sobre isso

Leave a Reply