Usar benzodiazepínicos, como o Rivotril, por mais de três meses aumenta risco de demência

Segundo colégio americano de psiquiatras, o uso dessa classe de calmantes e ansiolíticos aumenta o risco de demência em até 82%. Saiba mais sobre outros efeitos colaterais e mecanismos de ação dessas substâncias

Pacientes que tomam medicamentos do tipo benzodiazepínicos para tratar condições psiquiátricas devem considerar a transição para outras terapias pelos riscos aumentados de demência, ressaltam especialistas do American College of Osteopathic Neurologists and Psychiatrists.

O risco associado ao uso dessa classe de medicamentos será um dos temas da reunião anual da associação, a OMED 2015, que irá ocorrer entre 17 e 21 de outubro em Orlando, nos Estados Unidos. O informe dos especialistas é um apelo para que novos protocolos em psiquiatria sejam seguidos.

Eles explicam que já há informações consolidadas sobre os riscos dos medicamentos benzodiazepínicos, mas alguns médicos continuam a receitar os compostos – seja pelos rápidos resultados com o tratamento, seja pela dificuldade para a transição para novas opções.

As benzodiazepinas incluem medicamentos como o diazepam (nome comercial Valium), clonazepam (nome comercial Rivotril), bromazepam (nome comercial Lexotan) e alprazolam (nome comercial Frontal). Eles são usados como tratamento primário para a insônia, ansiedade, transtorno de estresse pós-traumático, transtorno obsessivo-compulsivo e outras condições.

O psiquiatra Helene Alphonso, um dos especialistas responsáveis pela divulgação dos estudos na reunião em Orlando, cita exemplos de pesquisas que encontraram a relação entre o uso e Alzheimer.

Uma revisão dos dados de 9.000 pacientes canadenses descobriu que aqueles que
tomaram a droga por um período superior a três meses, mas inferior a 180 dias, tiveram risco aumentado de desenvolver a doença em 32%.

Quando o período de uso de um benzodiazepínico passa de seis meses, o risco chega a 82%. Resultados semelhantes foram encontrados por pesquisadores franceses que estudaram mais de 1.000 pacientes idosos.

Alphonso afirma que, devido a escassez de profissionais de saúde mental em áreas carentes, médicos da atenção básica à saúde acabam por receitar essa classe de medicamentos para dar alívio a pacientes com sintomas psiquiátricos. “Mas é necessário uma melhor estratégia a longo prazo”, ressalta.

“Embora seja apenas uma correlação, e não uma demonstração de que realmente os remédios sejam responsáveis pelo surgimento do Alzheimer, há muitas razões para evitar essa classe de drogas como primeira opção.”

Uma primeira alternativa, cita Alphonso, são antidepressivos. “A pesquisa atual é extremamente clara e médicos precisam fazer parcerias com seus pacientes para movê-los para outras terapias, como antidepressivos, que são comprovadamente mais seguros e eficazes.”

O argumento para limitar o uso de benzodiazepínicos é particularmente forte para os pacientes com 65 anos ou mais, mais suscetíveis a quedas, lesões, overdose acidental e morte quando tomam os medicamentos.

Os riscos fizeram com que a Sociedade Americana de Geriatria estabelecesse diretrizes em 2012 que rotularam essas drogas como “inadequadas” para o tratamento da insônia, agitação ou delírio.


A ação dos benzodiazepínicos

Essa classe de medicamentos foi aprovada nos anos 1960 nos Estados Unidos – acreditava-se que fossem mais seguros que os barbitúricos, usados no início do século XX para o tratamento da insônia e ansiedade.

Mais tóxicos, o uso de barbitúricos foi descontinuado por registros de parada cardíaca, complicações pulmonares e suicídios associados ao uso. Hoje só são usados para a induzir anestesia geral e em casos de síndromes convulsivas graves.

Tanto os barbitúricos como os benzodiazepínicos atuam no Sistema Nervoso Central. Constituído por estruturas como o cérebro e a medula, o sistema é responsável por receber e processar informações.

Eles têm por alvo mecanismos que envolvem o neurotransmissor GABA (sigla para ácido gama-aminobutírico). Um neurotransmissor é uma substância que realiza a comunicação de um neurônio com o outro, já que eles não se tocam. O GABA é responsável pela sensação de relaxamento. Ou seja, na presença dele, os neurônios vão se comunicando em rede e avisando a todo o corpo que é hora de relaxar.

Os benzodiazepínicos são amplamente utilizados e sua indicação depende, muitas vezes, do tempo que produzem o efeito de sedação no organismo.  Os de longa duração (de oito a dezesseis horas) são utilizados no tratamento de epilepsia, úlceras e hipertensão arterial; os de ação média (quatro a seis horas) são administrados para tratar insônia e os de curta ação (imediata) são utilizados como anestésicos e sedativos.

Outros efeitos adversos já foram associados ao uso como perda de memória, perda de concentração, dificuldade motora, reação paradoxal (maior excitação depois do uso), indiferença afetiva, quedas, fraturas, tontura, zumbidos, sensação de ressaca (sonolência excessiva) e dependência. Cerca de 50% dos pacientes que usam benzodiazepínicos por mais de 12 meses evoluem para síndrome de abstinência.1

Estima-se que 50 milhões de pessoas façam uso diário de benzodiazepínicos. A maior prevalência encontra-se entre as mulheres acima de 50 anos, com problemas médicos e psiquiátricos crônicos. Os benzodiazepínicos são responsáveis por cerca de 50% de toda a prescrição de psicotrópicos. Um em cada 10 adultos recebe prescrições de benzodiazepínicos a cada ano, a maioria feita por clínicos gerais. 2

Vimos em http://brasileiros.com.br

Falando sobre isso

104 comments

  1. Tomo clonazepan a 9 anos, sou hipertensa,tenho depressão, sou muito ansiosa, tenho esquecimento de coisas,mas necessito desse medicamento, não posso viver sem ele,enfim um dia tds nós vamos embora com ou sem memória.

    • Medicação psiquiátrica é importante para tirar pessoas de momento de crise e estas poderem se submeter a uma boa terapia, de preferência numa abordagem cognitivo-comportamental, associada a intervenções combinadas de alta eficiência no controle da ansiedade e do estresse, como neurofeedback, mindfulness, hipnose clínica, atividade física, entre outras. Profissionais (psiquiatras, neurologistas, etc.) que apenas receitam medicação e deixam seus pacientes dependentes dos remédios e do próprio profissional, e não recomendam um acompanhamento psicoterápico e de reprogramação neurológica, e não desmamam a medicação no tempo certo, ou são pessoas bem intencionadas, mas cientificamente desinformadas, ou são desonestos que vivem à custa da dependência de seus pacientes (ou das comissões dos laboratórios farmacêuticos, pois muitos médicos ganham dinheiro proporcional ao número de receitas que emitem). Tenho vários pacientes que eram graves e tomaram benzodiazepínicos por muitos anos, e, após intervenção terapêutica numa abordagem neurocientífica, sistêmica e integrada, desmamaram os remédios e há anos levam suas vidas felizes e tranquilos. Com o advento da neuroplasticidade sabemos que toda mudança emocional e comportamental é possível… Portanto, estejam alertas e procurem a ajuda certa. Um bom médico é aquele que medica ALGUNS casos e outros não, e que recomenda como prioridade uma psicoterapia moderna e interventiva.

    • Independente da sua condição física e mental, com essas alterações, verifique primeiro a qualidade de seu sono. Dormir mal pode gerar esta mesma constelação de sintomas. Procure o serviço médico especializado e faça uma polissonografia. Sempre há uma saída. Estimo melhoras. http://www.maxsono.com.br

    • Luis Fernando Ramos

      Terapias não são nadas baratas e o SUS,raramente oferece o que me resta a jogar aos remedios,que a que eu tenho condição de pagar.

  2. Tomei Rivotril por 8 anos e a 3 tomo alprazolan 2mg todas as noites, junto com a venlaxina de 75mg e a quetiapina de 25mg, se eu ficar um dia sem qualquer um desses medicamentos eu não durmo e fico completamente descontrolada. O que devo fazer, o que dizer a meu psiquiatra? ??? Por onde começar? Não quero ter alzheimer só tenho 34 anos

  3. Tomo Frontal a uns 10 anos gostaria de parar mas tenho muita ansiedade o que faço para me livrar desta droga?

    • Olha eu estou na mesma situação Mas tomo fluxetina também mas não para de tomar vc tem que fazer o desmame ou trocar por outra medicação

    • Medicação psiquiátrica é importante para tirar pessoas de momento de crise e estas poderem se submeter a uma boa terapia, de preferência numa abordagem cognitivo-comportamental, associada a intervenções combinadas de alta eficiência no controle da ansiedade e do estresse, como neurofeedback, mindfulness, hipnose clínica, atividade física, entre outras. Profissionais (psiquiatras, neurologistas, etc.) que apenas receitam medicação e deixam seus pacientes dependentes dos remédios e do próprio profissionais, e não recomendam um acompanhamento psicoterápico e de reprogramação neurológica, e não desmamam a medicação no tempo certo, ou são pessoas bem intencionadas, mas cientificamente desinformados, ou são desonestos que vivem à custa da dependência de seus pacientes (ou das comissões dos laboratórios farmacêuticos, pois muitos médicos ganham dinheiro proporcional ao número de receitas que emitem). Tenho vários pacientes que eram graves e tomaram benzodiazepínicos por muitos anos, e, após intervenção terapêutica numa abordagem neurocientífica, sistêmica e integrada, desmamaram os remédios e há anos levam suas vidas felizes e tranquilos. Com o advento da neuroplasticidade sabemos que toda mudança emocional e comportamental é possível… Portanto, estejam alertas e procurem a ajuda certa. Um bom médico é aquele que medica ALGUNS casos e outros não, e que recomenda como prioridade uma psicoterapia moderna e interventiva.

  4. Ola posso lhe ajudar no tratamento

  5. Tomava a mais de 10 anos muitos remédios inclusive Rivotril, e uma coisa posso dizer a 2 anos atrás parei com todos e só tomo dorflex ou sedalgina se tiver muita dor. Consegui viver melhor ,quando a gente toma estes medicamentos pensa que esta bem e cada vez esta pior ,fica sem se sentir direito como se estivesse sempre anestesiada ,mas com sentimentos diferentes da realidade acho que vale a pena rever ,isso é uma coisa muito pessoal a de decisão é só nossa !Viva melhor da melhor maneira !

    • CLEIDE STEPHAN CANÊDO

      Por favor se vc tem a solução me ajude,estou sentindo que vou enlouquecer,tenho uma filhinha de 1 ano pra criar,e as vezes acho que não vou acompanhar seu crescimento,me ajude por DEUS. Meu face é Cleide Stephan Canêdo

  6. oi pessoal, atualizem-se. Leiam sobre melatonina, 3mg, e bons sonos. Todos os efeitos são os opostos dos citados. Espero ter salvado muita gente p aqui. Abraços.

    • A melatonina não pode ser tomada por mais de 3 meses seguidos. É um hormônio produzido pelo nosso corpo e o uso contínuo faz com que o nosso corpo não produza mais a substância. Perigoso. Aliás, o mesmo acontece com drogas para diabetes como diabinese, o uso contínuo faz a exaustão do órgão e para totalmente de produzir a insulina. Eu tomo uma droga Nova para preservar o pâncreas que a médica prescreveu. O problema com as drogas modernas para tratar com efeito colaterais e adversos cada vez menores é o preço: altos.
      Também uso antidepressivos e ansiolíticos. O negócio é conversar com o médico para não piorar o quadro.
      Muito sério.

  7. Olá tenho depressão e simidro do pânico e muita ansiedade.
    Tomo antidepressivo certralina e Rivotril de 2 mg já não faz mais efeito.
    Estava fazendo um curso de técnica em edificações e dirrepente não consiguia ficar consentrada tirava notas boas e passei a tirar notas ruins
    Tive que trancar o curso. Não sei o que fazer tem horas que guardo alguma coisa e esqueço onde.

  8. Não tomem melatonina por conta, um dos efeitos adversos é depressão. Não é tão simples como parece. Pesquisem e consultem um psiquiatra.

  9. O uso de tranquilizantes e’ aprovado pelo FDA, BNF e CANMAT, so para citar algumas Agencias e Servicos reguladores internacionais. O abuso com utilizacao de doses indevidas por longos periodos pode determinar deficit cognitivo (Prejuizo de memoria). Nao guarda qualquer relacao com doencas degenerativas cerebrais tipo Alzheimer, Doenca de Pick, Doenca de Jacob-Creutzfeld ou Arteriosclerose Cerebral. Serve de alerta para evitar o abuso, automedicacao, tratamento sem supervisao especialzada.

  10. Pessoal! Os medicamentos benzodiazepinicos não são pílulas da felicidade! Procurem um psicólogo e invistam na terapia! Poder falar de sua questões sem julgamentos ou críticas com um profissional bem preparado auxiliará vcs a abandonarem o Rivotril e encontrarem outras opcoes para viver com maior tranquilidade! Se for ultra necessário o medicamento o médico psiquiatra é o mais indicado!

  11. Vocês que tem depressão e insônia, vocês precisam participar das reuniões de terça feira na Igreja Universal. As 7:00, 10:00, 15:00 e 19:00. Também já tive e não precisei mais tomar nenhum remédio desses, graças a Deus que me libertou. Em paz me deito e logo pego no sono, porque só o Senhor me faz repousar tranquilo. salmos 4:8

  12. Odair Antonio da Silva

    No Brasil o uso de tranquilizante é uma questão de saúde pública, já que para a secretaria de saúde é mais fácil dopar o paciente com medicamentos e tratar os sintomas do que tratar a doença, porque os paciente psiquiátrico da rede SUS passa no médico a cada 3 meses. Nesse período o paciente fica dopado em casa porque como as pesquisas montra os danos na saúde vai aparecer futuramente.

  13. Gente eu. tomo essa medicação há mais de trinta anos e só me sinto ótimo e tenho disposição para tudo
    sem ela fico perdido no tempo .

    • Eu tomo um comprimido de bromazepsm todas as noites há mais de 30 anos e sinto-me bem .Se paro fico muito mal sem concentração, esquecendo de tudo..Tenho 68 anos. Acho que não vou mudar de medicamento.

    • Jucileide bezerra de Oliveira

      É O QUE SINTO ANDRÉ SEM O REMÉDIO SOU TOTALMENTE INCAPAZ. E QUANDO TOMO A MEDICAÇÃO PRESCRITA PELO O MEU MÉDICO SOU CAPAZ DE INFRENTAR UM LEÃO. TEMOS QUE OBSERVAR O QUE ÉRAMOS ANTES E DEPOIS DO REMÉDIO. SE VOCÊ FOR ATRÁS DE UM REMÉDIO QUE NÃO TENHA NEM UM EFEITO COLATERAL NÃO TOMARÁ NEM UM! A MINHA MEMÓRIA É TOP DE LINHA. CHEGO NO SISTEMA E DESBANCO QUALQUER INDIVÍDUO DE NÍVEL SUPERIOR. VOU ENSINAR À ELE COMO É QUE SE FAZ. AS VEZES ATÉ PERGUNTAM SE TRABALHO EM ALGUM SETOR JURÍDICO. É NOTÓRIO DIZER QUE À MEDIDA QUE FORMOS ENVELHECENDO TUDO VAI FICANDO LIMITADO. ISTO INFELIZMENTE É UM FATO.

  14. Estou apavorada com tanta gente tomando remédio pra dormir…ansiedade…pânico…
    Nossa!!! Isso é cultural?
    Acho que começa na infância essa mania de compensação…
    A criança cai começa a chorar e em vez das pessoas ao redor falarem: foi só uma queda vai passar…. acabam diante de um acontecimento oferecendo a chupeta; um doce , etc…pra criança não chorar…. sem saber estão criando pessoas que não conseguem superar seus medos; dor sem um remédio pra aliviar ou enfrentar a tensão pela metade…. e no final….. milhões de pessoas dependendo de medicação pra tudo!

  15. Pessoal, trabalho com uma tecnologia que auxilia muito nestes casos acima citados. É uma terapia natural que auxilia em vários problemas como epilepsia, fibromialgia, depressão, hipertensão, diabetes e ajuda a controlar a ansiedade.

  16. Tomava rivotril por 4 anos e consegui deixar, graças a Deus ! Tive muita força de vontade ,hoje tenho uma vida saudável, alimentação saudável e faço academia.

  17. Sandra marilia ribeiro sandoval

    Tomo alguns remedios para depressão e transtorno bipolar maior e tomei aprazolan quase 1 ano qdo consultei um outro medico ele ficou horrorizado por eu tomar o apraz diz que da demência e mal de alzaimer retirei imediatamente o remedio e fui pesquisar ele realmente faz um mal terrivel nunca mais tomarei . Tenho 60 anos e esqueci muitas coisas minha mente mudoumuito conheco o melatonin 3 mg esse induz ao sono realmente e nao faz nada para o organismo acreditem todos devem tomar e so pesquisar e ver porque e bom. Tenho horror ao aprazolam.

  18. Meu esposo está usando desses medicamentos e na o vejo resultado nenhum! Vive se sentindo mal e em crise! Preciso ajudá lo a se livrar dessas drogas!

    • Maria Gema Pedrosa Nogueira

      Em 2002 tive uma grande depressão, o ano todo e tomava Lexotan, em uma crise grande meu esposo me levou a um neuro q prescreve pondera e frontal, melhorei mas n voltei p fazer o desmame e passei ,6 meses sem tomar nada , só q em dezembro de 2003 a doença voltou,voltei ao médico e retornou a passar os mesmos medicamentos, com o passar dos dias não voltei e fiquei mudando por conta própria,tomei alprazolam, rivitril, fluoxetina , clonazepam, e hoje n vivo se o clonazepam, se eu n tomar fico com uma agonia na cabeça, a tremedeira no corpo. Passei uma semana sem tomar, tomando aqueles só p dormir, chegando em CS parecia q ia morrer,ja fiz tudo e tenho vontade de deixar mas n consigo. Vou continuar tomando o clonazepam até morrer pq n queto morrer doida. Mais faço minha atividades físicas, faço trabalhos manuais, como tiaras e outros tipos de trabalho. N posso deixar meu remédio pq vou ficar o resto da vida sem dormir e louca.Ja pedi a Deus p deixar e até agora nada. Me desculpem mais a única solução é continuar tomando.

  19. Sildene generoso mendes

    Tomo alprazolam há 4 anos e não consigo ficar sem ele, tenho crises de abstinência que é a pior sensação do mundo na minha vida ,não consigo mi livrar dele alguém q conseguiu??

  20. Lucia Helena Leite de Meireles

    Minha gente esse RIVOTRIL é uma praga mesmo digo por experiência própria com minha mãe que tomou por quase 30 anos,tinha uma dependência louca não dormia sem ele,não concordava quando pedíamos para ela parar de tomar era uma briga quase batia em nos as 4 filhas,a coisa de 3 anos começou a esquecer as coisas ,não conhecia ninguém nem meu pai casado com ela a 55 anos nem as filhas nem netos,surtou algumas vezes agredia a nós,parou de sorrir,usava fraudas,tinhamos de forçar para comer,esqueceu tudo não conversava mais ,gritava a noite quase toda,arrancava a roupa toda do corpo,isso durou 1 ano e como sofremos,os médicos trataram como mau de Alzheimer,e ela não melhorava,encaminharam ela para o hospital de pinel em Botafogo,após 1 ano de tratamento ela consultou com outro médico onde mora e ele disse que o RIVORTRIL faz um estrago no celebro,tirou,nos alertou dos sintomas que ela teria por estar deixando de usa-lo,aceitamos ele foi diminuindo as dosagens,ate tirar completamente.Ele a diagnosticou com DEMÊNCIA mais parou de usar fraudas,come sozinha,toma banho vigiada,fala muito as vezes coisas sem nexo ,quando está agitada xinga muito,mais em vista de como estava está melhor mais sabemos que vamos cuidar dela pelo resto de sua vida,erá uma mulher muito ativa,cheia de planos e agora não sabe tomar decisões sozinha,roe as unhas ate sangrar,e temos certeza que se ela tivesse parado com essa praga maldita chamado RIVORTRIL ela não teria passado por isso aos 72 anos hj está com 75 e o que fazemos é cuidar dar amor,carinho e uma vida digna.Por isso alerto todos quando sei que tomam esse remédio PAREM, PAREM antes que seja tarde!

    • Jucileide bezerra de Oliveira

      LUCIA HELENA QUANDO ELA PASSOU A TOMAR ESTE REMÉDIO DEVERIA JÁ APRESENTAR ALGUM PROBLEMA. NÃO SE TOMA REMÉDIO POR GOSTAR, ISSO É UM FATO. EU TOMO O CLONAZEPAM POR SOFRER DE INSÔNIA CRÔNICA. QUERIA MUITO ME LIBERTAR DESTE REMÉDIO. NÃO TENHO NEM UM DESTES SINTOMAS QUE SUA MÃE APRESENTOU. MAS SABEMOS QUE TODO REMÉDIO TEM SEUS BENEFÍCIOS E SEUS EFEITOS COLATERAIS. ATÉ ÁGUA TOMADO EM EXCESSO CAUSA PROBLEMAS.

  21. Usem os Números de Grigori P. Grabovoi para curar qualquer doença.
    No Facebook tem um grupo de estudo chamado NÚMEROS DE GRABOVOI, com listas de doenças e seqüências numéricas. Usem com fé!

  22. Gente! Meu filho toma o Zargus há 4 anos, por indicação da neuro, ele tem 9 anos, 1 comprimido por noite. Será que esse medicamento tbm trás algum risco??!
    E eu tomo Rohypnol há quase 3 anos, mas não faço uso contínuo, às vezes passo meses sem tomar! Estou preocupada agora!!

  23. Olá, tomo o venlafaxina 75 mg ele também da alguma demência com o tempo? Pois tive pânico e ainda as vezes tenho, infelizmente sempre fui muito ansiosa até que essa ansiedade se tornou de fato uma doença, hoje tenho dependência deste medicamento e quando não consigo dormir tomo rivotril, mas no outro dia estou com o corpo péssimo.
    Infelizmente essas doenças são da alma e por não ter cura apenas tratamento ainda, fica difícil a nós que realmente tem esta doença, pois só quem teve e tem sabe disser, que é a pior sensação que existe, e quando ficamos sem o medicamento é péssimo piora ainda mais é algo que fica fora de nosso alcance, não temos controle, é horrível.
    O que podemos fazer mais para nos ajudar a não sentir mais tais crises e abstinência de tais medicamentos e da doença.

    • Alexandre Rezende

      É Liliana! Tomei paroxetina por 6 anos e ri otril nos primeiros meses 0.5. Consegui largar 2 anos. Mas os sintomas voltaram ! Nós temos anos que melhora os sintomas, mas acredito que a medicação não conseguimos nos livrar por completo!

  24. Tomo alprazolam ha anos e tenho que parar e qdo acaba ,me da’ uma abstinencia horrivel.Agora meu remedio acabou e estou com medo do que vem pela frente,ou seja a abstinecia.O que eu faco para nao ter abstinencia sem o remedio?me ajudem.passei por momentos dificeis e o clinico passou alprazolam de 1 mg 3 vezes.Hoje tomo 1 vez ao dia.posso tomar este melatonin de 3 mg?meu caso e’ ansiedade.Mas quero sair do alprazolam.aguardo uma ajuda.obrigada

    • Eufrazio.Ribeiro da Silva

      Este medicamento melatonina não vende no Brasil você tem que comprar fora no estados Unidos pela á internet eu conheço amigo de minha filha que tomava revotril e passou tomar melatonina e esta muito melhor.

  25. Matilde Magda do Nascimento

    Sou dependente de medicamentos tomo Rivotril a quase dez anos , já não faz mais efeito nenhum, aí tomo Quetiapina de 100 MG , Venlafaxina 75 MG e agora passou Zargus de 2 mg , gente fiquei apavorada lendo tudo isso aqui, mas não consigo ficar um dia sem medicação, a abstinência é horrível, só quem passa sabe o terror que é , tenho depressão crônica, fobia social e mais outras coisas que nem sei definir, só o fato de cojitar ficar sem essas drogas já fico apavorada, mas lendo tudo aqui fiquei mais apavorada ainda , até pq já estou esquecendo de tudo , guardo algo depois não sei onde está ,esqueço nomes de pessoas , lugares , assuntos , dá um branco horrível na memória as vezes , mas não consigo ficar sem, tive que aposentar por causa disso. Gente me dá uma luz por favor, pra completar moro sozinha.

  26. Isto deve ser coisa de laboratório que quer vender outro tipo de medicamento, mais caro, minha mãe usou mais de 40 anos o Rivotril, quando faleceu foi por pneumonia e a cabeça dela estava ótima …..conheço pessoas que usam o Rivotril há vários anos e não tem nenhum problema de esquecimento. Isso é o que eles querem que acreditamos, parem com isso o médico que receitou sabe muito bem o porquê ….não dê ouvidos a fofocas apenas servem para deixarem muita gente em pânico. Tomo rivotril sim, e não vou parar, pois me sinto bem.

  27. Ninguém deixe seu remédios sem a orientação médica, para todo e qualquer medicamento há de haver o desmame. Cada organismo reage de uma maneira, por isto seu Neuro ou Psiquiatra,é que estão capacitados para orientá-los.

  28. Fugindo do assunto:Eh eerstnseante essa estrategia de marketing das empresas. Tudo agora eles estao relacionando com coisinhas bonitinhas.Entre os celulares, temos o iPhone da Maca e as Amoras Pretas. Os sistemas operacionais do Google sao o Doughnut, o Eclair, o Gingerbread Tudo comidinhas que a vovoh faz. Aih vem a Apple com os Mac OX apelidados de Cheetah, Puma, Jaguar, Panther, Tiger, Leopard, Snow Leopard, Lion, Snarf, Willie Kit, Willy Kat. Cade o Mun-Rah?

  29. Sou testemunha viva disso usei por 10 anos, sempre dancei e hj dou aula de dança, esqueço muito rápido as coreografias, monto a coreografia, no.outro dia esqueço …luto.com minha memóriA todos os dias! Larguei faz 4 anos, por vontade própria, qdo soube dos efeitos fiquei desesperada …eh igual cigarro, um vício, foi um ano lutando para não voltar tomar! Eh uma luta diária, mas Deus me.libertou e só não.estou pior pq Ele me ajuda todos os dias 😉

  30. Ana Valéria A. Vieira

    Ainda bem que nasci em outra época, quando criança, quando nos machucávamos, os pais as mães deixam um beijinho no lugar ferido e “diziam quando casar passa”, Não lembro de nunca ter tomado remédio para as minhas traquinagens, pois eram consideradas saúde: Subir em muros, em árvores, rolar nas ribanceiras, brincar de pique, etc. Sou uma pessoa saudável, tenho diabetes e pressão alta (controladas) fruto dos excessos da juventude. Trabalhei 11 anos no Laboratório Roche fabricante dos benzodiazepínicos e nunca tomei um só dos produtos, não só por achar que causavam dependência, também pela tolerância que o corpo tem a eles. Além disso, graças a Deus nunca precisei, mas por trabalhar lá poderia ter ficado viciada, como muitas pessoas. Todos nós temos problemas, mas nós mesmos podemos resolvê-los, pois sempre sabemos o que nos incomoda. Não é admissível que uma pessoa tenha depressão por 10 anos ou mais. É preciso que as pessoas procurem em si mesmas as razões de seus problemas considerados depressão e procurem viver com saúde. Esqueçam esses produtos viciantes e o pior é que iniciam as crianças neles por as acharem muito agitadas, isto é saúde, e não doença. Mas infelizmente os pais não têm hoje mais tempo para elas.

  31. Tomo bromazepam à 6 anos.
    Tenho 51 anos
    já estou com sérios esquecimentos .
    e horrível.
    Mas não consigo parar .

  32. Pra min isso sao especulações, minha avo teve Alzheimer e nunca usou antidepressivo, meu avô tem 84 anos, toma clonazepan a anos e é mais lúcido que mts jovens. Tomar antidepressivo e nao tratar a causa do problema e sem acompanhamento obviamente nao vai dar certo, nao se pode sair acreditando nesse tipo de informação, antes procurem um profissional que entenda do assunto!

  33. Andréia Figueiredo

    Como médica de psiquiatria, aconselho que sejam acompanhados por um bom médico especialista em psiquiatria para fazer ajuste de medicação. O ideal é associar uma boa alimentação adequada a exercício físico além de psicoterapia.

  34. Tomo bup nome comercial. Esse medicamento é da mesma família do benzodiazepinico ? ?

  35. GENTE TOMO RIVOTRIL A MAIS DE 7 ANOS E TENH HJ 26 ANOS TENHO TODOS ESSES SINTOMAS,
    Outros efeitos adversos já foram associados ao uso como perda de memória, perda de concentração, dificuldade motora, reação paradoxal (maior excitação depois do uso), indiferença afetiva, quedas, fraturas, tontura, zumbidos, sensação de ressaca (sonolência excessiva) e dependência

  36. Tomo rivotril a cerca de 12 anos, tenho esquecimento e muito cansaço. Não durmo se não tomar o rivotril.
    O que fazer?

  37. Maryzilda Peroba Campos

    Tomo meio comprimido de rivotril 2 mg a noite senão consigo dormir.Tenho um pouco de esquecimento, mas o médico já fez ressonancia e está tudo normal.O esquecimento faz parte fa idade e das preocupações q temos.Até os jovens estão assim! Faço yoga e pilates.Temos q nos ocupar.

  38. tomo revotril a 4 anos e as vezes não consigo dormir nem tomando o remédio. sou bastante ansiosa.

  39. CALMA CALMA GENTE !!! TEM MUIIIIIIIIIITOS PRODUTOS NATURAIS ÓTIMOS , QUE PODEM SER USADO COMO COMPLEMENTO ATE LARGAR OS SITADOS ACIMA . EU NÃO VENDO PRODUTOS ,.MAS TENHO UMA PÁGINA NO FACEBOOK QUE PASSO DICAD TODA SEMANA SOBRE PRODUTOS NATURAIS . VOCÊS NÃO VÃO PERDER AS DICAS . ACESSE HOJE MESMO !

  40. Falando em naturais, existe também os derivados da Maconha que são super naturais e não fazem mal. Existem no exterior em cápsulas ou óleos. São extraídos da planta Sativa ou Indica, esta segunda sendo a mais indicada. Da mesma forma que os remédios é um químico, mas é natural e não faz mal. Leiam a respeito. Já é tempo de largar os tabús de lado e procurar outras soluções que sejam melhor para vocês.

  41. Meditaçao., acupuntura, atividade física, reik, yoga, e terapia, grandes aliados!,,,

  42. Eu tomo rivotril e sertralina à 3 anos, pois deixei de tomar por conta própria uma semana, sem perceber comecei com uma dor de cabeça chata, uma dor no corpo e uma sensação de estar doente, foi qdo lembrei que havia dias que não tomava os remedios, voltei a tomar, tudo passou. Agora estou com medo de parar. Minha neuro ja tentou desmamar não conseguimos, passei pra psiquiatria, mas é tão difícil consegui marcar consulta com ela.

  43. tomo rivotril ha uns dex anos,antes tomava lexotan,que parou de fazer efeito,entao passei p o rivotril,se nao tomar nao durmo,quando tomo fico falante,excitado,tudo que queria era poder largar,tomo tbem fuoxeina,p depressao,há alguns anos sinto diminuição na libido e na hora do orgasmo,é estranho,não é como antes,a relação muitas vezes vai bem,ou sempre,mais na hora do orgasmo não é mais aquela explosão,é só um negocinho rápido e sem graça,parece que tem pouco esperma,não tenho orgasmo pleno.

  44. Eu tomei o rivotril de 2,MG A mais de 25 anos …com uma consulta no meu clínico geral ele me receitou a Cetralina então tomei pois estava muito ansiosa …Mais comecei a sentir muito sono tomava a certralina durante o dia e o rivotril a noite. .. Então voltei e falei pro meu médico.. Ai ele dividiu o rivoltril em 4 partes que foi pra 0,25 mg .. Então eu tirei a certralina e hoje tomo so o rivotril 0,25 mg.. no começo sofro por 15 dias …Mais hoje se eu for tomar a mais da dosagem de 0,25 mg passo mal.. creio que em breve não vou mais tomar ..

  45. Tomo Rivotril desde os 27 anos estou com 45 meu Médico está tentando tirar de vagar so quem tem problema sabe o que posso falar para aa pessoas que tomam muito tempo e procurar um psiquiatra digo pra vcs melhorou muito a minha vida espero que consiga lagar se prefiro tomar o remédio e continuar com minha vida mas perto do normal. Saúde a todos

  46. Aiai esse povo que receita Yoga pra quem tem insônia. …Não sabe o que é insônia nem de longe…tô de saco cheio de pedir ajuda pra que eu me cure de insônia, e o povo ficar receitando Yoga, caminhada…insônia é insônia, não é dormir tarde…e outra estamos precisando de médicos que não estejam atrelados a lucros em laboratórios, pra receitar o certo …Não o lucrativo. Saúde do próximo não se vende…

  47. Darlete Paiva dos Santos

    Tomo rivotril cemessei tomar calmamente aos 19 anos de idade vontade de parar tenho muito mas se eu não tomar ando a casa toda pra fazer meus trabalhos pelo. Contrário se não tomar aí que fico lesada paralisada sem saber o que vou fazer e nada fasso !quando tomo me desperto aí sim fasso todas as minhas coisas tenho hoje 54 anos de idade e tomo rivotril mas de 15 anos e aí ? Que fasso ? Pode me orientar ?

  48. Augusto de Castro

    Há cerca de 20 anos tive uma forte depressão que começou de repente. Comecei a ler sobre o assunto e um dia li que 30% das pessoas conseguem sair dessa situação sem ajuda externa. Pensei assim: “vou ser um desses 30% e optei por não tomar remédio nenhum.
    Confesso que passei 2 anos me sentindo o pior dos seres humanos, com pensamentos suicidas etc. etc. Porém depois desse período, um dia acordei e o dia estava novamente bonito e a depressão passou como num passe de mágica.
    Recentemente passei por uma cirurgia de grande porte e na sequência tomei Stilnox para conseguir dormir. Melhorei da cirurgia mas continuei “dependente” do remédio para dormir até que notei que a “necessidade” nada mais era do que medo de não conseguir dormir sem o tal. Passei a dividir as pílulas em duas, depois em quatro e depois cortei sem nenhum problema.
    Nos depoimentos que li achei que algumas pessoas relatam situações que parecem similares a minha e que talvez conseguissem sair dessas, apenas colocando como objetivo a seguinte premissa VOU SAIR DESSA POR MINHA CONTA. DEPENDE SÓ DE MIM.
    Sei que é chato alguém ficar falando de si, mas se meu depoimento puder ajudar, nem que seja só uma pessoa, já valeu a pena.

  49. Nunca tomei Rivotril, mas fiz uso, por recomendação médica de 1 comprimido (3mg) de Bromazepan, por mais de 10 anos. Há dois anos, a dose foi lentamente reduzida: três quartos, metade, um quarto… até ser suspensa em menos de seis meses. Tem um ano e meio sem bromazepan, durmo menos, cerca de cinco horas por noite. Mas, me sinto liberta daquela dependência.

  50. Palestinos são quem tem menos culpa nisso tudo . Muito fácil julgar que está à mercê de um colapso na saúde publica.. Acredito que muitos aqui não conhecem como funcionam os Psf ‘s . O serviço é carente de atributos que podem fazer os pacientes largarem a dependência dessas medicações . Sou do interior de São Paulo e vi um médico do meu Psf ser ameaçado de Morte por um paciente psiquiatra só por que ele sugeriu que o caso em questão deveria ser acompanhado por um psiquiatra. Tiro o chapéu para aqueles que dão a cara a tapa e enfrentam o falido sistema de saúde aqui implantado ( MÉDICOS )

  51. Vera Terezinha Pardino

    Em 1978,eu tive umas crises convulsivas,já tendo história de epilepsia na família,passei com neurologista e passei a tomar psicotrópicos,Rivotril, gardenal, tegretol,não consegui mais ter minha vida normal pois não conseguia trabalhar,o médico trocou a medicação por passiflora,mais fraco,pois não estava mais tendo convulsão,não era epilepsia,atualmente estava trabalhando na área da saúde,e já para me aposentar,entrei num estado de depressão por estresse excessivo de trabalho,não consegui mais trabalhar passei no neuro ele me passou sertralina 50 mg,mais diazepan 10 mg,eu já me aposentei e parei por conta própria pois me senti muito bem longe do trabalho,não vi mais necessidade de tomar esses medicamentos,pois não quero ficar dependente,e trabalhei muitos anos no período noturno as vezes fico sem dormir mais só se estou muito preocupada com algum problema familiar,fora isso durmo muito bem sem medicamentos,obs tomei esses remédios por 60 dias,e não tomei mais me sinto muito bem.

  52. Ai me assustei agora. Tomava omeprazol e parei pq daiu que da alzeimer e agora estou tomando clonazepan 0,5 mg. Meu marido surtou duas c na primeira eu estava grávida e fiquei muito nervisa depois de ganhar o bb com crises de ansiedade. Isso aliviou. Mas minha memória está afetada. Tem pessoas que dizem ser do stresse. Mas agora lendo isso me assustei. O que poderia tomar fraquinho que n de sono?

  53. Matheus de Paula

    Fontes e referencias?

  54. Troquei esses remédios pela academia. Aeróbicos e musculação. Caminhadas ou corridas. Ou você trabalha seu corpo ou esses psicotrópicos trabalham por você.

  55. Tb uso rivotril e fluoxetina por mt tempo. Gostaria de formar um grupo com essas pessoas para discutirmos sobre o que sentimos e as soluções que foram encontradas.

    • Procurem orientação de um psiquiatra ou se informem com o Farmacêutico o uso de algum fitoterapico com a mesma função para começar o desmame, evitem estes tipos de medicamentos se fornecido a receita pir médico não especialista.

  56. O problema é q o rivotril ficou mto barato.
    Precisa ser substituído por remédios mais caros.

  57. Só eu tomo olcadi de 2mg.Fiquei até preocupada…..

  58. Só eu tomo olcadil de 2 MG.Fiquei até preocupada. Alguém conhece cloxazolam?

  59. Sou dependente de Rivotril gotas, de uma maneira interessante. Posso ficar até 1 semana sem tomar porém, o vidro precisa estar ao meu alcance. Não tenho interesse em deixar de usá-lo. Se ficar demente, paciência. Mais de 5 psiquiatras e só boa boa boa.

  60. tive uma crise de pânico e o médico me receitou rivotril 2mg, mas estou receoso de tomar com medo de ficar dependente .
    o que fazer para tratar o pânico de uma maneira natural?

  61. Faço uso de rivotril a 9 anos , o mesmo nem faz mais efeito.

  62. Muito mais tranquilo quando se tem só uma ansiedade eu tenho síndrome de boderline e não posso nem pensar em ficar sem meus medicamentos….Eles me salvam todos os dias! Deus, minha família, meu psiquiatra e meus remédios.

  63. Procurem orientação de um psiquiatra ou se informem com o Farmacêutico o uso de algum fitoterapico com a mesma função para começar o desmame, evitem estes tipos de medicamentos se fornecido a receita pir médico não especialista.

  64. ROSI, MEU ENDEREÇO ON LINE, ESTÁ REGISTRADO NESSA PG. PODE ME ADICIONAR COMO SUA AMIGA NO FACE.

  65. Gostaria de saber se esse risco é anulado uma vez que a terapia é abandonada. Tomo rivotril há 2 anos.

  66. Eu tomo Stilnox de 10mg faz uns 5 anos. Já tomei Alprazolam, mas me deixava sonolento durante o dia, ai trocaram pelo Stilnox, pra mim é melhor que quando acaba o efeito, não sinto sonolência. A composição dele é hermitartarato de Zolpidem. Boa sorte à todos.

  67. Muito complicado passar por esse tipo de problema e precisar tomar remédio, eu já tomei vários tipos de remédios pra pânico, depressão e ansiedade, todos associados com o clonazepam, cheguei até melhorar e resolvi parar por conta própria, mas percebi q a cada dia só piorava, mesmo assim não queria voltar a tomar remédio, e tentava me controlar como podia, mas chegou um certo tempo q não conseguia mais, então resolvi procurar um psiquiatra q mudou totalmente a medicação, desta vez me receitou venlafaxina, lítio carbamazepina e clonazepam, 2,0mg, como eu já tomava o clonazepam a 8 anos, ele me falou dos danos causados pelo clonazepam, eu aceitava mexer em todos os outros remédios, menos no clonazepam, eu já me sentia mal só em pensar em ter q deixar de toma-lo, pois já imaginava o quanto iria me sentir mal se ficasse sem ele, e assim foram várias tentativas, começamos diminuindo a dose, mas eu não aguentava tomar por 3 dias, já começava me sentir mal, não dormia, me batia um desespero parecendo q ia morrer, aí por conta própria voltava pra mesma dose de 2,0mg, e assim tentamos por muito tempo, mas eu tinha vontade de parar, até pq já estava sabendo dos riscos q ele me causaria. Chegou mais um dia de consulta, e o médico falou q iria diminuir novamente a dose, logo de início eu questionei, mas resolvi tentar, dessa vez pra valer, eu estava determinada a ficar livre do clonazepam de vez, confesso q nos primeiros dias foi ruim ter q lidar com a abstinência, passou a primeira semana, e a cada dia estava mais confiante q dessa vez iria dar certo, cada dia q eu passava sem ele era uma vitoria pra mim, persisti nisso, hoje não tomo mais, estou livre, não me faz falta, estou muito melhor agora sem ele.

Leave a Reply